5 características marcantes da nova geração de gestores educacionais empreendedores

Tempo estimado de leitura: 5 minutos (957 palavras, 5527 caracteres)

O mundo é dos ousados. “Favorece a Fortuna a ousadia”, já escrevera Camões lá no séc. XVI. Em geral, a maior parte das pessoas prefere a zona de conforto, que é segura e previsível. No entanto, não são essas pessoas que realizam as grandes transformações, que mudam o ambiente ao redor. Para isso, é necessário pensar de forma diferente da maioria, e é isso que a nova geração de gestores educacionais empreendedores está a fazer.

 

Empreendedor não é só quem abre o próprio negócio. Existe o empreendedor interno, também chamado de intraempreendedor, que é aquele que, mesmo não sendo o dono da empresa, toma grandes iniciativas dentro dela. Por isso, gestores educacionais empreendedores podem ser tanto donos de escolas, como diretores e coordenadores que inovam na instituição de ensino em que trabalham.

 

Conheça quais são as características mais marcantes desses profissionais e veja se possui alguma delas:

 

1. Espírito inquieto

 

Alguém com espírito inquieto está sempre à procura de inovar. Tudo pode estar a funcionar bem, mas essa pessoa sabe que o que é bom pode ficar ainda melhor, então não se acomoda, está em uma busca constante.

 

Gestores educacionais com este perfil são capazes de tomar grandes iniciativas e fazer com que a escola em que atuam se destaque, colocando-a num ritmo de melhoria contínua, que salta à vista não apenas de alunos, pais e colaboradores, mas também do público externo, que toma conhecimento de seus feitos.

 

2. Paixão

 

Um profissional ardente, que tem paixão pelo que faz, é capaz de ir mais longe e de gerar uma sinergia que envolve todos ao seu redor. Essa chama é tão intensa que transborda, e pode inspirar ‒ e até “sacudir” ‒ aqueles que têm a paixão adormecida.

 

Quando essa característica está presente em gestores educacionais, eles têm os meios de que precisam para a interiorizar na cultura da instituição e fazer com que se reflita nas atitudes do dia a dia e nas tomadas de decisão. Assim, a escola passa a ter uma equipe envolvida, que não trabalha apenas porque precisa, mas porque possui um “querer maior” dentro de si.

 

3. Gosto pelo risco

 

A segurança, muitas vezes, atua como um fator limitante, impedindo importantes avanços. Afinal, quando continuamos fazendo as mesmas coisas, não conseguimos ir além de onde já estamos. Para evoluir e chegar onde os outros ainda não estiveram, é necessário arriscar-se, desbravando novos caminhos.

 

Esta nova geração de gestores educacionais empreendedores sabe disso, portanto, não permite que o medo seja uma barreira intransponível. Eles não se fecham a novidades, receando que algo não dê certo. Também não são inconsequentes, aceitando de olhos fechados tudo o que se apresenta. Eles se informam, calculam os riscos e tomam a melhor decisão para a escola, pesando perdas em caso de fracasso e ganhos em caso de sucesso.

 

4. Visão de futuro

 

Pessoas com visão de futuro estão sempre um passo à frente da maioria. Elas enxergam possibilidades onde os outros só veem incertezas. Antecipam cenários e tomam atitudes pioneiras, mesmo sem o apoio dos que estão à sua volta. Grandes génios de outras épocas que tinham essa característica são hoje conhecidos por nós como pessoas “à frente do seu tempo”.

 

Um gestor educacional com visão de futuro pode causar grandes revoluções em uma escola, tomando atitudes que, a princípio, podem despertar receio nos que o rodeiam e que não compartilham da mesma visão, mas que em um segundo momento se revelam muito acertadas e são capazes de colocar a instituição de ensino em grande evidência.

 

5. Capacidade de automotivação

 

Automotivação é uma capacidade incomum. Em geral, as pessoas se motivam por fatores externos a elas. No entanto, há aqueles seres raros que têm a habilidade de tirar a motivação de dentro de si, mesmo quando todos os cenários são desfavoráveis e não há perspectivas de recompensa imediata ou num futuro próximo. Essas são pessoas que fazem as grandes coisas.

 

Uma característica como esta em gestores educacionais é algo muito valioso. A escola, como qualquer empresa, não está livre de problemas, e é comum que nos primeiros anos ocorram altos e baixos, sobretudo na parte financeira. Mas se for gerida por alguém com capacidade automotivacional, persistirá, driblará os obstáculos sem se deixar abater, com coragem e fé no futuro, até reverter a situação.

 

Finalizando

 

As características acima são marcantes em gestores educacionais empreendedores. Se não possui todas elas, ou mesmo nenhuma, isso é algo que pode e deve ser trabalhado, pois essas capacidades não são necessariamente inatas.

 

A vontade de evoluir é o primeiro passo, então se essa é a sua intenção, comece a mudar pequenas atitudes, abrindo-se para o novo e deixando que essa mudança se reflita na sua escola.

 

E por falar em mudança: o que acha de começar a modernizar as comunicações na sua instituição de ensino? Conheça aqui a ferramenta ideal para ajudar nesse primeiro passo.

 

Leia mais
– Gestão: como simplificar tarefas do dia a dia e gerar economia para a escola
– Otimizar para preservas: como deixar o papel dar lugar a recursos digitais

 

Que características dos novos gestores educacionais empreendedores possui? Comente aqui. E se não possuir nenhuma, diga-nos quais gostaria de desenvolver primeiramente.

 

Infografía - Caderneta Física x Aplicação de Comunicação

 

Deixe um comentário