A voz do aluno na escola

16 de setembro de 2016 | sem comentário | Categoria(s): Tecnologia no Ensino, Tendências

Tempo estimado de leitura: 4 minutos (664 palavras, 3840 caracteres)

A escola é o ambiente onde o aluno cresce, ganha autonomia, constrói relações e – claro – aprende. A perspectiva do conhecimento para a vida leva o aluno a se tornar protagonista de sua própria história. Na visão de quem observa, isso acontece muito rápido: em um dia ele tem a primeira aula e parece que no outro já está voltando para casa sozinho. Mas na verdade esse processo é gradual e cada etapa deve ser vivenciada plenamente.

 

Algo semelhante ocorreu no desenvolvimento do ClipEscola: em um dia estávamos modelando as melhores funcionalidades para prover os pais e educadores com as informações mais precisas e atualizadas para a intervenção no processo educativo, e no outro já estávamos atendendo às solicitações de escolas de ensino médio para que os alunos fossem considerados responsáveis por si mesmos no sistema. E é claro que atendemos.

 

Mas para nós não basta implementar as funções, queremos entender a implicação disso no dia a dia das instituições e na vida de nossos usuários. E chegamos à conclusão de que o que estava sendo pedido de nós é que déssemos “voz” ao aluno, ou seja, um local no qual ele pudesse se expressar e fosse ouvido, onde tivesse as dúvidas esclarecidas e recebesse subsídios para fundamentar as decisões sobre sua educação e, consequentemente, sobre seu futuro.

 


 

Encontramos em um artigo da educadora e mestra em artes cênicas Regina Helena Espirito Santo as palavras para expressar esse desejo de comunicação com os jovens: “Já é tempo, diria até que tardio, de dar maior importância à voz do aluno em nossas escolas”. A pesquisadora também descreve a inibição característica dos estudantes quando são inquiridos a falar no espaço escolar pela primeira vez: “Se instigados a falar, respondiam com um ‘falar o quê’ ou ‘diz aí o que quer que eu fale”.

 

A experiência de Regina se dá no contexto de oficinas de teatro, um formato absolutamente formidável para o despertar da autoconsciência, mas é preciso que descubramos ferramentas diversificadas, que atendam aos diferentes perfis, realidades e períodos. Acreditamos que a tecnologia é outro desses instrumentos, com o app de comunicação como uma de suas materializações mais precisas.

 

Cada vez mais substituímos as rodas de conversa por grupos em comunicadores instantâneos. Não há nada de errado nisso, é apenas um reflexo de nosso tempo e, como tal, possui vantagens e desvantagens. Mas podemos minimizar as desvantagens ao oferecer um ambiente seguro e monitorado para a troca de mensagens.

 

Outra característica dos jovens que não podemos negligenciar é o desejo por diferenciação, a valorização das marcas que lhes distinguem. Quando a escola lhes oferece meios exclusivos de expressão e de acesso, em sintonia com as tendências e inovações que já fazem parte de sua cultura, eles se sentem valorizados e correspondem enxergando positivamente a instituição da qual fazem parte.

 

A criação desse vínculo com o aluno desde cedo é importante para que ele, no decorrer dos anos, continue interessado pela escola e em evolução constante. Falar a mesma língua do aluno e não ignorar os canais usados por ele com certeza favorecerá a criação desse vínculo. Assim, as chances de ele um dia decidir abandonar a escola são muito baixas.

 

 

Leia mais
– 6 segredos para alcançar um bom rendimento escolar
– 7 palestras que podem transformar a sua visão sobre a educação

 

E na sua escola, qual é o espaço para a voz do aluno? Eles se sentem ouvidos ou engasgados? Eles sabem onde buscar as informações que necessitam? Conte para a gente, queremos ouvir a sua voz também!

 

atendimento ClipEscola

 


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of