Educação sustentável

COMPARTILHE

11 de fevereiro - 2019

Educação sustentável: 10 atitudes que a sua escola pode adotar para inspirar os alunos

Tempo estimado de leitura: 10 minutos (1972 palavras, 11293 caracteres)

Desenvolvimento sustentável é um tema que sempre é abordado pelas escolas, até porque elas têm um papel crucial na formação de cidadãos responsáveis e conscientes para o mundo de amanhã. É importante porém que a educação sustentável não exista apenas no discurso, mas também em atitudes reais. A sua instituição tem responsabilidade ambiental ou apenas fala sobre ela?

 

Elaboramos uma lista de ações que a sua escola pode implementar para ajudar de fato o meio ambiente, conscientizando os alunos não apenas por palavras, mas também por atitudes.

 

Vamos conferir?

 

1. Substituir o papel pelo digital

 

Usamos muito papel. Só no Brasil são aproximadamente 10,260 mil toneladas por ano, de acordo com a Associação Brasileira de Celulose e Papel (BRACELPA). Todas as agendas físicas e resmas de folha que as escolas utilizam anualmente contribuem para esse montante. Então, quando se fala sobre desenvolvimento sustentável em sala de aula e depois emprega-se papel em atividades que poderiam facilmente ser feitas de forma digital, qual é a mensagem que fica para os alunos?

 

O papel cobra um preço alto do meio ambiente. Para se ter uma ideia, dentro do período de um ano a Amazônia perdeu 859 árvores a cada minuto. Se a produção de papel agride à natureza em uma ponta, na outra o descarte inconsciente soma ao prejuízo. O material pode demorar até seis meses para se decompor, tempo o suficiente para poluir rios, mares e entupir bueiros, causando enchentes.

 

A grande questão é: há alguma vantagem que compense esse prejuízo? Com a tecnologia que dispomos atualmente, agendas de papel e resmas de folha podem ser eliminadas das escolas, e sem nenhum prejuízo para as atividades a que elas se destinam. Então, pense verde e inspire seus alunos pelo exemplo!

 

2. Plantar árvores

 

Uma atitude ecológica louvável que muitas instituições de ensino praticam é o plantio de árvores pelos estudantes. Quando uma criança planta uma semente na terra, ao mesmo tempo uma semente está sendo plantada dentro dela. Se cair em terreno fértil e for cultivada, o meio ambiente não ganhará apenas uma nova árvore, mas também um cidadão consciente que praticará atitudes sustentáveis ao longo da vida.

 

Por isso, se a sua instituição de ensino ainda não aderiu a ações voltadas para a educação sustentável, considere seriamente fazê-lo. Lembre-se, a escola não forma pessoas apenas para o mercado de trabalho, mas também para o mundo. Se elas vão deixá-lo melhor ou pior do que o encontraram, depende do tipo de pessoas que irão se tornar. Boas influências pelo caminho podem pesar bastante no resultado.

 

3. Reutilizar água da chuva para usos não potáveis

 

Você já ouviu falar em cisternas que reaproveitam a água da chuva? Sim, elas existem, e permitem que as escolas poupem esse importante recurso natural que é a água.

 

É claro que a água da chuva coletada não pode ser usada para consumo, já que não é potável, mas há muitos usos para ela:

 

  • Descargas de vasos sanitários
  • Irrigação de plantas do jardim
  • Limpeza de pisos
  • Lavagem de tecidos

 

Além de poupar recursos ambientais, a escola acaba economizando até recursos financeiros, já que uma boa quantidade de água tratada deixa de ser empregada nessas tarefas.

 


4. Criar um programa de caronas

 

A educação sustentável também passa pelos colaboradores da escola e pelos pais de alunos. Então, que tal criar um programa de caronas que incentive as pessoas que moram no mesmo bairro a revezarem os carros e darem carona umas às outras, ou uns aos filhos dos outros? Essa atitude contribuiria para a redução da emissão de dióxido de carbono e seria um exemplo inspirador para os estudantes.

 

Para fazer isso você pode criar uma enquete direcionada a pais e colaboradores perguntando quem tem interesse em participar. Liste os que responderem sim e os respectivos bairros em que moram, e divulgue a lista entre eles. Depois, eles mesmos podem combinar a carona diretamente uns com os outros.

 

Fica mais fácil se a escola possuir um canal de comunicação oficial, pois nele os interessados em participar podem interagir sem que o número de celular deles precise ser divulgado, já que todos estarão cadastrados na ferramenta.

 

5. Reciclar o lixo

 

Você sabia que de todo o lixo produzido no Brasil, 30% tem potencial de reciclagem? Se fosse para você dar um chute, quanto diria que é o percentual de lixo efetivamente reaproveitado? 25%? 15%? 10%? Não, está bem longe disso. De todo o lixo que geramos no país, pasmem… apenas 3% é reciclado! Os dados são do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, e mostram que ainda há muito trabalho pela frente até que a consciência ambiental atinja um número expressivo de pessoas.

 

A escola, uma das principais bases da educação e formação cidadã na sociedade, pode fazer a diferença nessa conta. É importante que a educação sustentável esteja inserida no dia a dia dos alunos. Uma das ações que pode ser feita nesse sentido é a disponibilização de lixeiras específicas para lixo orgânico/molhado e lixo reciclável nas áreas comuns da instituição.

 

Além de promover a separação do lixo, é fundamental que a escola oriente os alunos sobre a forma correta de fazer essa reciclagem. Ainda existe uma certa confusão sobre o que está apto para o reaproveitamento ou não. Papel higiênico, fraldas e papéis engordurados, por exemplo, não estão. Então o ideal é que os alunos recebam todas as informações necessárias para que realizem a reciclagem tanto no colégio quanto em casa.

 

Se a escola “vestir essa camisa”, avanços significativos podem ser dados nessa questão. Então engaje-se! Promova a educação sustentável e ajude a mudar o mundo!!!

 

6. Usar pilhas e baterias recarregáveis

 

Há muitos recursos utilizados em escolas que necessitam de pilhas ou baterias: controles, relógios de parede, mouses e teclados sem fio, calculadoras, passadores de slides, entre outros. Acontece que pilhas e baterias possuem elementos químicos que podem ficar no meio ambiente por milhares de anos. Uma atitude ecologicamente sustentável é a utilização de opções recarregáveis, que podem ser utilizadas várias vezes sem descarte.

 

E que tal também incentivar que os seus alunos tenham a mesma atitude? Explique para eles os danos ambientais que esse tipo de material causa e os riscos à saúde. Mostre que pilhas e baterias recarregáveis são vantajosas em todos os sentidos!

 


7. Substituir copos descartáveis por canecas e bebedouros com jato

 

Já falamos neste post sobre reciclagem. Além de reaproveitar materiais, uma outra ação que ajuda muito o meio ambiente é a substituição de materiais descartáveis por não descartáveis. Nas escolas, os mais fáceis de trocar são os copinhos de plástico. Eles podem ser facilmente substituídos por canecas para os professores e bebedouros com jato para os alunos.

 

Digamos que cada pessoa na instituição use em média três copos de plástico por dia. Com a troca, cada um economizaria 700 copinhos por ano. Se multiplicarmos esse número pela quantidade de alunos e colaboradores da sua escola, a que resultado chegaremos?

 

Você percebe a quantidade de plástico que deixa de ser emitida? São materiais que demorariam até 400 anos para se decompor. Todo esse lixo poderia acabar indo para a natureza, e com uma atitude simples a escola consegue evitar isso e ainda espalhar um bom exemplo de educação sustentável entre estudantes e colaboradores. Então, abrace essa ideia!

 

8. Utilizar compostagem nos jardins

 

A sua escola possui espaços verdes? Se sim, uma outra forma de contribuir com o meio ambiente é utilizando a compostagem. O termo lhe soa estranho? Então vou traduzir: adubo orgânico rico em húmus e nutrientes minerais. Ele é obtido por meio de técnicas que controlam a decomposição de matéria orgânica.

 

Isso quer dizer que aqueles restos de comida que sobram na cantina da escola podem ser muito bem aproveitados no seu jardim, ajudando a vegetação e tendo um destino não-prejudicial ao meio ambiente.

 

Caso você não saiba, embora o lixo orgânico tenha uma decomposição muito mais acelerada do que outros materiais, ele também tem potencial danoso, pois durante a decomposição produz gás metano, que contribui para o efeito estufa.

 

O assunto rende um ótimo tema para ser trabalhado em aula, não acha? E essa aula pode começar com explicações e terminar de forma bem prática, com os estudantes colocando a mão na massa e produzindo compostagem. É uma boa maneira de ensinar e ao mesmo tempo praticar educação sustentável, não é mesmo?

 

9. Trocar lâmpadas fluorescentes por led

 

As lâmpadas fluorescentes, por servirem de alternativa econômica às incandescentes, estão presentes hoje em diversas casas e empresas. O grande porém disso está nos malefícios para a saúde das pessoas e para a natureza.

 

O vilão da história está escondido dentro da lâmpada, e atende pelo nome de Mercúrio. Por isso, o problema não se revela quando a lâmpada está em uso, e sim na hora do descarte. Quando ela é despejada em aterros sanitários, o mercúrio acaba vazando e vai para o solo, contaminando-o e causando atrofia nas plantas.

 

Se uma grande quantidade do líquido entra em contato com a pele, ou pequenas doses de forma repetitiva, a pessoa pode ter problemas no sistema nervoso ou até desenvolver hidrargirismo, que é uma doença que faz com que os órgãos parem de funcionar.

 

Uma ação que pode ser realizada pelas escolas é a substituição de lâmpadas fluorescentes pelas de led. Elas também são econômicas, mas muito mais sustentáveis. A principal vantagem é o fato de não possuírem mercúrio, mas não para por aí. A estrutura delas também é 95% reciclável, o que faz o descarte ser bem menos prejudicial ao meio ambiente.

 

10. Eliminar mídias físicas

 

Por fim, a nossa lista de atitudes para uma educação sustentável na sua escola finaliza com esta sugestão: elimine as mídias físicas, como por exemplo CDs e DVDs. Esse tipo de material possui substâncias químicas que são nocivas à natureza, e leva em torno de 450 anos para se decompor.

 

Isso é uma tarefa até relativamente fácil, pois hoje todo tipo de conteúdo pode ser encontrado online. E caso haja arquivos digitais que não estão na rede e você queira apresentá-los ou compartilhá-los com os alunos, basta subí-los para o Google Drive ou mesmo os enviá-los pelo aplicativo de comunicação da escola 🙂

 

Leia mais
– Sustentabilidade em escolas: a importância do exemplo para a formação cidadã
– Economia e sustentabilidade: uso racional de materiais de expediente

 

Após essa leitura, você está disposto a adotar atitudes para uma educação sustentável na sua escola? Por onde vai começar?

 

Infografía - Caderneta Física x Aplicação de Comunicação

 

AUTOR:

Graziela Balardim

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.