facebook Atendimento por email Agende uma visita Ligue Agora Atendimento online Atendimento Online 2 Whatsapp whatsapp 2 corretor

Inadimplência escolar: 5 estratégias para reduzi-la drasticamente

6 de julho de 2018 | sem comentário | Categoria(s): Gestão Escolar

Tempo estimado de leitura: 6 minutos (1049 palavras, 6158 caracteres)

O problema é um velho conhecido das escolas particulares. Em um país com 61,2 milhões de pessoas com algum tipo de dívida em atraso, conforme dados do Serasa Experian, não é de se espantar que a inadimplência escolar seja a grande vilã das instituições de ensino da rede privada.

 

A questão é séria e exige um combate enérgico. De outra forma, o problema pode se generalizar, chegando a extremos como o fechamento da instituição. Esse fato não é tão raro quanto deveria, mas pode ser evitado. Para isso, é essencial que a escola trate o assunto com a atenção que ele merece, valendo-se de estratégias eficazes para contorná-lo.

 

No post de hoje você vai conferir algumas formas efetivas de lidar com a inadimplência escolar, reduzindo-a e mantendo a saúde financeira da sua instituição de ensino.

 

1. Facilite o pagamento

 

Nem sempre os atrasos no pagamento das mensalidades ocorrem por dificuldades financeiras do devedor. A falta de tempo é uma desculpa frequente, e ela pode ser remediada com soluções simples.

 

Hoje já é possível pagar contas sem sair de casa, sem nem mesmo precisar ligar o computador. Há recursos que permitem que os pais dos alunos quitem o débito de forma segura, em apenas alguns cliques no celular.

 

No aplicativo de comunicação que desenvolvemos aqui na ClipEscola, por exemplo, há uma funcionalidade que possibilita que eles paguem as mensalidades diretamente pela ferramenta, sem que precisem se deslocar ou acessar sites e aplicativos de bancos.

 

2. Envie lembretes

 

Se a falta de tempo é uma desculpa comum para o atraso das mensalidades, o esquecimento não fica atrás. Como o primeiro, este também é um empecilho fácil ser neutralizado.

 

Para isso, ações bastante simples, como lembretes notificando os pais da proximidade dos vencimentos, por exemplo, já dão conta do recado. Essa função, entretanto, fica impraticável se feita de forma manual. O ideal é que seja automatizada.

 

Um recurso que permite essa dinâmica é o que citamos no tópico anterior, o aplicativo de comunicação escolar. A solução envia aos pais alertas periódicos, avisando-os que o dia do pagamento da mensalidade está chegando.

 


 

3. Renegocie a dívida

 

A inadimplência escolar, em alguns casos, se torna algo crônico. Quando as mensalidades atrasadas se acumulam, isso pode indicar que os pais do aluno estão com dificuldades financeiras. Se o débito continuar crescendo, é pouco provável que eles tenham condições de quitá-lo.

 

A escola, no entanto, fica de mãos atadas. De acordo com a lei, o aluno não pode ser privado de assistir às aulas do ano letivo. A escola também fica impedida de reter documentos do estudante ou dificultar a transferência dele para outra instituição. Tem apenas o direito de não aceitar a rematrícula do aluno para o ano seguinte.

 

Frente a esse cenário, a melhor opção para a instituição de ensino é a renegociação da dívida. Embora não haja uma obrigação legal de a escola oferecer descontos ou o parcelamento do débito, tomar esse caminho pode ser a única forma de resolver o problema sem transformá-lo em uma demanda judicial.

 

Nessa renegociação, os resultados são mais promissores se há o emprego de recursos de automação, pois evita-se que fatores emocionais impactem no que for acordado. Portanto, automatizar o processo de renegociação é quase vital para saúde financeira de uma escola. Opte somente por sistemas de cobrança que ofereçam esse tipo de recurso.  

 

4. Beneficie o bom pagador

 

A emoção exerce uma poderosa influência sobre as ações humanas. O racional é utilizado, muitas vezes, para justificar o que o próprio emocional já decidiu. Um meio muito comum de obter de alguém uma ação esperada, por exemplo, é gerando um “sentimento de recompensa”.

 

Ele pode ser despertado das mais diversas formas. Quando vemos em lojas um produto por R$99,90 em vez de R$100, temos uma amostra da aplicação desse artifício. Cartões de fidelidade, brindes e cupons de desconto são outros exemplos. Dar à pessoa a sensação de que ela está “ganhando alguma coisa” ainda é uma estratégia capaz de grandes resultados.

 

A técnica pode ser empregada no combate à inadimplência escolar. Se a escola oferecer, por exemplo, um desconto para o pagamento da mensalidade em dia, o benefício dará ao pagador a sensação de que ele está sendo “recompensado”, ainda que o valor do abatimento seja quase simbólico.

 

5. Automatize a cobrança

 

Deixar que todo o processo de cobrança ocorra de forma automática, sem a perda de tempo com funções manuais, como ligações, trocas de e-mails, atualização de valores e reemissão de boletos, é uma estratégia eficaz para a redução da inadimplência escolar.

 

Essa automação pode ser feita pela plataforma de comunicação, já citada neste post. Dessa forma, o devedor recebe notificações, alertando-o que a mensalidade está em atraso. Além disso, permite que ele pague os boletos vencidos de forma rápida, já atualizando automaticamente os valores, incluindo a multa e os juros.

 

Na plataforma da ClipEscola, esta facilidade também representa uma economia para a instituição de ensino, pois ela só será tarifada por cada recebimento, independentemente da quantidade de vezes que o boleto for emitido ou atualizado. Outra vantagem é que todas as alterações feitas são transmitidas automaticamente para o sistema do banco, sem a necessidade de interações manuais. Para saber mais sobre isso, entre em contato.

 

Leia mais
– Comunicação 360: pais, alunos e todos os setores da escola interligados por um só canal
– Gestão: como simplificar tarefas do dia a dia e gerar economia para a escola

 

Gostou das estratégias para o combate à inadimplência escolar? Conheça aqui a ferramenta que te possibilita a aplicação delas e solicite uma demonstração gratuita.

 

CTA_eBook_apresentacao-1

 

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of