Liderar uma equipe pedagógica

Compartilhe

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

7 coisas sobre a liderança de uma equipe pedagógica que todo gestor deveria saber

Sumário

Liderar pessoas é uma arte. As pessoas podem ser muito diferentes e complexas, e mesmo assim, funcionar como uma orquestra afinada, se conduzidas por um bom maestro. Se você se tornou coordenador pedagógico, talvez esteja buscando se aprimorar como líder, para assim poder direcionar de forma assertiva toda a equipe pedagógica da escola. Afinal, conhecimentos técnicos não bastam para liderar pessoas, não é mesmo? No post de hoje você vai encontrar algumas dicas para a sua jornada de aprimoramento, que é claro, não deve parar por aqui. Vamos lá?

 

1. Liderança não é um cargo

 

A primeira coisa que você precisa saber é que a essência da liderança não está em um cargo. Um cargo confere poder sobre as pessoas, porém, não autoridade. Quando você tem poder, as pessoas te obedecem pelo poder do seu cargo, por temerem as consequências de uma desobediência. Quando você tem autoridade, as pessoas te seguem porque confiam no que você diz, tendo você um cargo ou não.

 

Hoje em dia é muito comum que pessoas em cargos de chefia sejam chamadas de líderes. Porém, trocar o nome “chefe” por “líder” não faz do chefe um líder. A liderança é algo maior e que está além de uma classificação. Por isso, se você realmente quer liderar uma equipe pedagógica e não apenas comandá-la, os professores precisam comprar a sua liderança.

 

Talvez você esteja pensando: “Isso é mesmo importante? O poder do meu cargo não basta?”. Olha, depende. O poder funciona, mas ele é limitado. A liderança retém talentos, por exemplo, o poder não. Mais do que isso. A liderança revela o seu valor naqueles momentos mais críticos, de severas mudanças. 

 

Você se lembra do fechamento das escolas na pandemia, do ensino remoto, do home office dos professores e de toda a dificuldade deles em lidar com tudo isso? Mudanças drásticas como essas são mais fáceis de coordenar e de obter a cooperação dos colaboradores se no meio do caos a única certeza deles é a confiança em seu líder.

 

2. Se você se importar com os seus liderados, eles te comprarão como líder

 

Há muitas características que diferenciam um líder de um chefe. Existe uma, porém, que se você tiver todas as outras e não tiver essa, ninguém comprará a sua liderança. Se você tiver apenas essa, porém, já terá muito. Para ser um líder, você precisa se importar com as pessoas.

 

A capacidade de se importar, de ter empatia, é algo que precisa estar dentro de você, pois isso não se ensina. É algo também que não pode ser simulado, pois quando existe, transborda e qualquer um sente. Você pode perguntar para alguém que tenha um bom líder: “Como você sabe que o seu líder se importa com você?”, e ele responderá: “Eu sinto”. Então, se essa capacidade de se importar está em algum lugar lá dentro de você e é verdadeira, bote para fora!

 

Quando você tomar decisões, muitas vezes haverá professores que não concordarão com elas, mas a aceitarão muito mais facilmente porque vieram de você. Quando você se importa, as pessoas confiam nas suas decisões, confiam que é o melhor e que não serão prejudicadas.

 

 

 

3. Propósitos engajam pessoas

 

Se você quer que as pessoas se motivem, se engajem, deem o seu melhor, então dê um propósito a elas. Toda escola tem um. É aquela missão que está descrita no projeto político-pedagógico. Porém, essa missão pode parecer um tanto abstrata no dia a dia. Quando algo é muito amplo, geralmente não conseguimos visualizar como as nossas pequenas ações diárias podem contribuir. É aí que está o X da questão.

 

Você como líder da equipe pedagógica pode “traduzir” a missão, o propósito da escola, em ações mais pontuais. Por exemplo, se a escola tiver como missão “levar a educação a todos os alunos”, podem ser mapeados aqueles alunos com mais dificuldade da instituição, aqueles em que a educação não está de fato “chegando”. Então, cada professor vira um padrinho de um desses alunos e será sua missão fazer de tudo para que ele consiga aprender.

 

No exemplo acima, foi dado a cada professor um propósito alcançável. Quando o desempenho desses alunos aumentar, os educadores terão a sensação de “missão dada, missão cumprida”. Esse sentimento é mágico. A pessoa sente que ela é um agente capaz de fazer a diferença

 

Se sua equipe pedagógica sempre trabalhar tendo em vista não apenas uma missão ampla, mas também propósitos que são, além de nobres, também claros e atingíveis, os resultados serão impressionantes. As pessoas têm um potencial dentro delas que às vezes elas próprias desconhecem. Um verdadeiro líder consegue arrancar isso lá de dentro, e essa é uma forma.

 

4. Escute a sua equipe pedagógica

 

As pessoas têm necessidade de ser ouvidas. Um líder precisa saber escutar. Podem ser ideias, reclamações, sonhos, o que for. Algumas vezes, nem será preciso fazer nada. Só de ouvir, você já estará ajudando. Em outras, caberá a você oferecer orientações ou até tomar providências para resolver determinada situação. Em outras ainda, você poderá receber boas ideias que serão inclusive um ganho para a escola. 

 

O ideal é que você tenha um canal de comunicação aberto com a sua equipe pedagógica. Não deve ser difícil para um professor conseguir falar em particular com você. Facilita inclusive se a escola possuir alguma ferramenta para a comunicação interna na qual o professor possa te chamar no privado sem que ninguém veja e até marcar uma reunião com você, se for o caso.

 

Se os seus professores se sentirem ouvidos e acolhidos, ou então bem orientados sobre determinadas questões, ou até sentirem que suas ideias são levadas em consideração, eles se sentirão muito mais pertencentes à comunidade escolar. Com isso, trabalharão mais motivados, com brilho no olho e vestindo a camisa. Isso também tem suma importância para a retenção de talentos.

 

5. Chamadas de atenção privadas e reconhecimentos públicos

 

Nunca, sob hipótese alguma, chame a atenção de alguém da sua equipe pedagógica na frente de outras pessoas. Quando o “puxão de orelha” é público, a sensação de humilhação é certa, e isso é algo muito difícil de contornar depois. 

 

Quando houver algo que algum professor fez de errado ou uma oportunidade de melhoria, fale com ele no privado, e não em uma reunião coletiva, no corredor na frente dos alunos ou mesmo na sala dos professores na presença de outros. Esse é um cuidado que, como líder, nunca pode te escapar.

 

Já na hora de elogiar uma boa iniciativa ou algo digno de reconhecimento, o faça em público. É claro que reconhecimentos privados também têm o seu valor, mas o peso é diferente. Quando alguém se empenha por algo e sente que teve menor reconhecimento do que deveria, ou até nenhum, isso o desmotiva. Da próxima vez, ele fará apenas o feijão com arroz.

 

O reconhecimento público também motiva a quem observa. Os outros colegas desse professor também irão querer tomar uma iniciativa bacana e depois receber o reconhecimento por isso. As pessoas têm isso dentro de si, esse desejo de se sentirem apreciadas. Para muitas, não existe nenhum fator de motivação externo maior do que esse, nem mesmo o salário.

 

 

6. Clareza, transparência e organização são suas aliadas

 

No dia a dia de uma escola, muitas situações podem ocorrer por falta de clareza nas informações e orientações. Quando algo não é comunicado claramente, as pessoas fazem conforme entenderam, e elas podem ter entendido errado. Se são criticadas por terem entendido errado, aí também entra em cena o fator ressentimento. Afinal, quando alguém faz errado porque a comunicação não foi clara, obviamente não irá querer receber críticas por isso. Então, busque sempre ser o mais claro possível com sua equipe pedagógica, e se ainda assim você falhar, reconheça isso.

 

Ser transparente com os seus professores é um outro ponto fundamental. Eles precisam saber o que é esperado deles; se as aulas, a didática e as iniciativas deles estão atendendo ao que é esperado; se há oportunidades de melhoria etc. Não deixe os seus educadores no escuro, ou colocando questões como essas nas entrelinhas. Seja um líder transparente, porém, sempre com muito tato nessa transparência. Assim, eles terão a oportunidade de se aperfeiçoar e evoluir.

 

É importante também primar pela organização. Se você na sua vida pessoal é aquele bagunceiro que consegue se achar na própria bagunça, isso é uma coisa. Agora se há outras pessoas que dependem de você, elas não têm que “se virar” para entender a sua bagunça. Busque a organização em todos os processos que envolvam os professores, tais como: rotinas, reuniões, quadro de horários, equipamentos para as aulas etc. Não permita que nenhum professor tenha alguma rotina ou atividade prejudicada por falta de organização da sua parte, combinado?

 

7. Saiba resolver conflitos

 

Conflitos são comuns no ambiente escolar. Ignorá-los não é a solução e nem o que é esperado de um bom líder. Afinal, os problemas continuarão e afetarão o clima da escola. O ideal é que seja implementado na instituição modelos de mediação de conflitos, como você pode conferir por aqui.

 

Os modelos que você pode ver no artigo indicado são colaborativos, ou seja, a responsabilidade não ficará toda em cima de você. Caso decida não implementar nenhum deles, porém, caberá sim a você solucionar os conflitos, sobretudo aqueles entre professores e professores. Esse é um fator crucial para um bom clima entre a equipe pedagógica.

 

Bônus 1 – Dicas de livros

 

Se você quer ser um verdadeiro líder para a sua equipe pedagógica, aqui vão duas dicas de livros de cabeceira de toda liderança que se preze:

 

  • O Monge e o Executivo – Uma história sobre a essência da liderança
  • Como se tornar um líder servidor 

 

Essas leituras irão abrir a sua mente, então, anote bem a dica!

 

Bônus 2 – Como a ClipEscola pode te ajudar

 

Você sabe que a comunicação é um instrumento essencial para qualquer liderança, certo? Um líder precisa estar disponível para que seus liderados possam falar com ele. Algo que favorece bastante esse aspecto é a adoção pela escola de uma ferramenta para a comunicação interna.

 

Nós da ClipEscola podemos te ajudar com isso. Nossa solução possui um módulo bem completo para a comunicação interna. Por ele é possível, inclusive, criar uma categoria para contato direto entre a equipe pedagógica e o coordenador, e deixar essa categoria visível somente para essas partes. É possível também agendar reuniões internas e até realizá-las de maneira virtual. Confira mais informações sobre o módulo de comunicação interna por aqui.

 

Leia mais
– Desafios do coordenador pedagógico frente às novas tecnologias escolares
– 10 perguntas e respostas sobre o Módulo de Comunicação Interna ClipEscola

 

Espero que esse artigo tenha te ajudado em sua jornada de aprimoramento para se tornar um bom líder para a sua equipe pedagógica. Se precisar da nossa ajuda para a parte de comunicação, basta solicitar o nosso contato por aqui.

CTA_Infográfico - Agenda Digital x Sistema de Gestão Escolar

Compartilhe

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn