fbpx Skip to content
Inglês no Novo Ensino Médio

COMPARTILHE

06 de dezembro - 2021

Inglês no Novo Ensino Médio: as principais dúvidas sobre essa disciplina obrigatória

Tempo estimado de leitura: 7 minutos (1348 palavras, 7832 caracteres)

Uma das principais mudanças para o Novo Ensino Médio foi a criação dos Itinerários Formativos, o que significa dar aos estudantes mais autonomia para escolher as disciplinas sobre as quais pretendem aprofundar seus conhecimentos. Além disso, também determina que as escolas incorporem o Inglês no Novo Ensino Médio, tornando o acréscimo dessa matéria obrigatório.

 

Em um mundo globalizado, saber se comunicar nessa língua não é mais um diferencial, mas um prerrequisito do mercado de trabalho. Nesse sentido, entende-se que o idioma deve ser aprendido em sala de aula, e não em um curso fora do horário escolar. Essas mudanças seguem as orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que determina quais matérias devem ser ensinadas a cada ano letivo.

 

Nesse formato, o estudante poderá escolher livremente, dentro do currículo escolar proposto, quais conhecimentos deseja melhorar antes de entrar na universidade. Porém, isso não quer dizer que o aluno só estudará aquilo que gosta. Quem prefere as ciências humanas e biológicas ainda terá que estudar sobre as ciências exatas. Quer entender mais sobre o assunto? Veja o conteúdo que preparamos especialmente para você a seguir!

 

Por que o inglês no Novo Ensino Médio é obrigatório? 

 

Como foi dito mais acima, a BNCC definiu a implementação obrigatória do ensino da língua inglesa no Novo Ensino Médio. Segundo a determinação, o idioma deve ser mandatório a partir dos anos finais do ensino fundamental — 6º ano do ensino fundamental. Ou seja, todas as escolas do Brasil precisam ter essa disciplina em sua grade curricular a partir dessa etapa.

 

Entretanto, a instituição não precisa se limitar a esse calendário. O ideal é que os alunos já comecem a ter contato com a língua desde os anos iniciais, desenvolvendo reflexões sobre o “estrangeiro”. A justificativa para a escolha desse idioma, e não de outro, como o espanhol, está ligada ao seu impacto na comunicação global. Afinal, o inglês é utilizado por nações do mundo inteiro, com repertórios culturais diversos. 

 

Não é só isso! A proposta da BNCC é de que o ensino do inglês ocorra de forma tão natural quanto o ensino da língua portuguesa. Assim, a recomendação é de que os alunos sejam habituados ao idioma a partir de práticas linguísticas cotidianas, discursivas e da reflexão. Com isso, os estudantes conseguem desenvolver habilidades comunicativas tanto em sua língua nativa quanto na estrangeira

 

Como deve ser o ensino do inglês no Novo Ensino Médio de acordo com a BNCC? 

 

Um dos maiores objetivos da BNCC é orientar as instituições de ensino na estruturação de um currículo escolar que garanta aprendizados fundamentais a todos os alunos na educação básica. Em outras palavras, o intuito é oferecer aos estudantes as ferramentas necessárias para a construção de seus próprios saberes linguísticos, a fim de se tornarem membros participativos da sociedade, exercendo cidadania. 

 

Nesse contexto, a base propõe que o ensino da língua inglesa deve se concentrar nas práticas de linguagem. Assim, é crucial determinar os objetivos do plano de aula, bem como seu uso na leitura e na escrita. Isso porque o inglês não está mais relacionado apenas aos conhecimentos nominais, mas sim à capacidade de uso do idioma. Agora, o importante é planejar a transmissão desse conteúdo considerando a metodologia, a identidade e a realidade. 

 

Uma forma de facilitar a implementação desse plano de aula é aumentar o repertório dos docentes dentro da língua. Eles devem procurar intensificar o contato com a produção científica, acadêmica, cultural e social no inglês, por exemplo. Dessa forma, poderão contextualizar o idioma, além de indicar materiais adequados para os alunos com mais facilidade.

 

Como o inglês se encaixa na nova carga horária do Ensino Médio? 

 

Também foi definido pela reforma uma alteração na carga horária do Novo Ensino Médio. Até o ano de 2022, todas as escolas do ensino público e privado deverão aumentá-la de 800 horas por ano para 1 mil horas anuais, somando 3 mil horas ao longo de todo o ensino médio. Assim, o intuito é estabelecer uma cultura da educação integral, capaz de preparar melhor, e com mais eficiência, os estudantes para enfrentar o ensino superior e, consequentemente, o mercado de trabalho.

 

Na prática, esse tempo extra em que os alunos passarão no ambiente escolar deverá ser dedicado ao desenvolvimento dos Itinerários Formativos, aprofundando seus conhecimentos nas disciplinas que desejam focar, além de conseguir aprender sobre os temas propostos pela base, como o inglês, que deve ser apresentado como um componente curricular de formação básica, junto com as outras disciplinas obrigatórias. 

 

Por que formar alunos bilíngues é um forte diferencial para a sua escola? 

 

Com base nas determinações da BNCC, você, como gestor, já deve ter compreendido a importância da educação bilíngue para os alunos. Impulsionada pela globalização e diversos recursos tecnológicos, ela abrirá um leque de possibilidades no mercado e no papel dos estudantes como cidadãos. Entretanto, sua escola também colherá frutos ao adotar as novas diretrizes. São eles:

 

  • Mais competitividade em relação à concorrência 

 

Ter um ensino de qualidade de um idioma estrangeiro é um fator que destaca qualquer instituição no mercado.

 

  • Reforço da marca e autoridade da instituição 

 

Ao ser uma escola bilíngue, sua instituição ganhará mais reconhecimento perante a sociedade, além de agregar mais valor à identidade escolar.

 

  • Tranquilidade para os responsáveis e alunos 

 

Quando a escola oferece o ensino da língua inglesa em seu próprio ambiente, os responsáveis não precisam dispor de tempo, energia e dinheiro procurando uma nova instituição que ensine o idioma.

 

  • Captação de novos estudantes 

 

Como foi destacado no item acima, os responsáveis darão preferência às instituições que oferecerem um ensino eficiente da língua inglesa e formarem cidadãos bilíngues.

 

  • Retenção de alunos 

 

Seguindo a mesma lógica dos novos alunos, os estudantes mais antigos se sentirão motivados a continuar estudando em sua escola, por ter acesso a um currículo bilíngue completo e bem estruturado.

 

Finalizando

 

Como você pode notar, a BNCC possui um papel fundamental na formação integral dos estudantes brasileiros. Ao incorporar o Inglês no Novo Ensino Médio, bem como as novas diretrizes determinadas pela base, sua instituição contribuirá para a formação de indivíduos com as competências exigidas pelo mercado e pela sociedade do século XXI

 

Entretanto, para que a instituição tenha sucesso na implementação das novas normas, é preciso adequar o processo de ensino-aprendizagem, como considerar o aperfeiçoamento das habilidades do seu corpo docente e o uso de um material didático de qualidade. Ou seja, é essencial investir na formação contínua dos educadores e nos materiais necessários para garantir um ensino de excelência.

 

Agora que você já sabe tudo sobre o inglês no Novo Ensino Médio, tire também as suas dúvidas sobre os Itinerários Formativos.

 

Leia mais
– Novo Ensino Médio: o EaD como solução para o aumento da carga horária
– Projetos de vida: o que são e qual é o papel deles no Novo Ensino Médio

 

Você já viu que inglês no Novo Ensino Médio é uma obrigatoriedade né? Então prepare a sua escola! Ahhh… e não deixe de assinar a nossa newsletter para receber sempre os nossos conteúdos.

 

CTA_Solução Novo Ensino Médio

AUTOR:

Edify Education

O Edify reúne tudo o que as escolas, os professores e os alunos precisam para fazer dessa geração uma geração bilíngue.