fbpx Skip to content
Projeto de vida

COMPARTILHE

18 de outubro - 2021

Projeto de vida: o que é, como trabalhá-lo e qual é o seu papel no Novo Ensino Médio

Tempo estimado de leitura: 11 minutos (2059 palavras, 12057 caracteres)

Projeto de vida. O termo não é novo, e certamente você já se deparou com ele no texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Agora, com o Novo Ensino Médio, o projeto de vida ganha ainda mais relevância – pois é um dos pilares da reforma – e é ele que ajuda o aluno a tomar a decisão sobre qual itinerário formativo escolher.

 

Quer entender tudo sobre o assunto? Então me acompanhe na leitura!

 

O que é o projeto de vida?

 

Projeto de vida é o caminho que o estudante traça entre “quem ele é” e “quem ele quer ser”. É o planejamento que ele faz para atingir seus sonhos pessoais, profissionais e para a vida em sociedade, contando para isso com todo o suporte pedagógico da escola.

 

Essa jornada começa a ser percorrida no ensino fundamental e concretiza-se no ensino médio. Nesse período, o aluno deve ser estimulado a descobrir preferências e habilidades, a se autoconhecer e a se projetar no futuro. Assim, poderá fazer escolhas conscientes e alinhadas com os seus anseios para a vida adulta, tanto na esfera pessoal quanto na social e na profissional, buscando, dessa forma, uma vida mais plena e mais feliz.

 

No novo ensino médio, o projeto de vida também ajudará o estudante a escolher o itinerário formativo que ele deseja seguir. Os itinerários são caminhos que o aluno opta para se aprofundar em determinada área de estudos. Por isso, é fundamental que, antes dessa escolha, ele já esteja nesse processo de autodescoberta e planejamento de futuro, para que possa escolher o itinerário que faça sentido para o que ele almeja.

 

O que a BNCC diz sobre o projeto de vida?

 

O projeto de vida é citado em diversos momentos do texto da Base Nacional Comum Curricular. A sexta competência da base diz:

 

“6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade” (grifo nosso).

 

Ainda com relação a esse pilar, o documento diz que “o protagonismo e a autoria estimulados no Ensino Fundamental traduzem-se, no Ensino Médio, como suporte para a construção e viabilização do projeto de vida dos estudantes, eixo central em torno do qual a escola pode organizar suas práticas”. 

 

A BNCC deixa claro que a instituição de ensino precisa buscar a formação integral do estudante, ajudando-o a realizar escolhas éticas e sustentáveis em diversos campos, como estudo, trabalho e estilo de vida. Frisa também a importância de valorizar os papéis sociais desempenhados pelos jovens para além da condição deles de estudantes, qualificando o processo de construção de suas identidades.

 

Quais são os três pilares do projeto de vida?

 

A questão do projeto de vida ainda está muito abstrata para você? Vamos resolver isso já! Agora você vai conhecer melhor os pilares sobre os quais esse conceito se debruça, que são essenciais para a formação integral do aluno:

 

  • Pessoal

 

Autoconhecimento é a palavra que define esse pilar. Aqui é importante que a escola trabalhe com práticas que ajudem o estudante a se descobrir, percebendo os interesses, gostos e habilidades que possui; entendendo a sua origem e o contexto em que está inserido; conhecendo as suas emoções, anseios e sonhos.

 

É nesse pilar que devem ser trabalhadas questões como autoaceitação e autoestima, elementos fundamentais para o desenvolvimento da autoconfiança. Aqui o aluno também começa a construir valores que o nortearão na vida, bem como a sua própria identidade.

 

  • Social

 

No projeto de vida, é importante que o aluno também se desenvolva como ser social. Afinal, a formação integral também passa pelo preparo para a vida em sociedade, de forma a se inserir e agregar a ela. É aqui que entra a consciência do coletivo, a formação ética e cidadã, a responsabilidade social, a empatia, a solidariedade e a compreensão sobre a importância da sustentabilidade.

 

É importante que a escola crie oportunidades para o desenvolvimento desse pilar, estimulando interações e a colaboração entre os colegas, o desenvolvimento de projetos para a comunidade, o intercâmbio de culturas, a participação da família, a prática de ações sustentáveis e a reflexão sobre elas, etc.

 

  • Profissional

 

A preparação do aluno para o mundo do trabalho é um aspecto essencial do projeto de vida. Nesse ponto, faz-se essencial o alinhamento da escola com a realidade do mercado de trabalho, pois a formação do estudante precisa levar em consideração as transformações desse mercado, as novas exigências, as habilidades técnicas e interpessoais requeridas e o conhecimento tecnológico necessário.

 

Aqui também são trabalhadas as habilidades, gostos e preferências que o aluno descobriu na etapa pessoal, para que ele se desenvolva nesses aspectos. É muito bem-vinda a presença de um orientador vocacional para ajudar a instituição de ensino a trabalhar com esse pilar mais profundamente.

 

Como trabalhar o projeto de vida na escola

 

Agora que você já entendeu os objetivos do projeto de vida, chegamos naquela questão: como colocar tudo isso em prática? A forma de implementação fica a cargo de cada escola. Porém, temos algumas dicas para você que podem ajudar:

 

  • Inclua metodologias que trabalhem o protagonismo do aluno

 

Para que o aluno desenvolva o seu projeto de vida, ele precisa atuar de forma protagonista. Há metodologias que favorecem esse aspecto naturalmente, como a Aprendizagem Baseada em Projetos; o Design Thinking; o Rotação por Estações; a Sala de Aula Invertida; entre outros. Abra a sua escola para essas possibilidades!

 

  • Realize autoavaliações periódicas

 

De tempos em tempos, é importante que a escola solicite aos alunos que realizem autoavaliações. Esse é um momento de reflexão no qual eles poderão parar, pensar e escrever que atividades (dentro e fora da escola) estão trazendo a eles a sensação de satisfação, o que eles sentem vontade de fazer que ainda não fazem, o que eles acham que fazem de melhor, o que imaginam para suas vida no futuro, como o papel que estão desempenhando na escola contribui para isso e qual é o nível de felicidade que sentem com quem são e com o que fazem hoje.

 

  • Fomente a colaboração, a cooperação e a sustentabilidade

 

Para que os alunos trabalhem a dimensão social de seus projetos de vida, a escola pode trabalhar com o aprendizado colaborativo, permitindo que os alunos ajudem a construir o conhecimento uns dos outros por meio de trabalhos em grupo, dinâmicas, fóruns de discussão online, debates, etc. Promova também projetos que envolvam entregas para a comunidade e que contribuam com o meio ambiente.

 

  • Engaje a família dos alunos com a escola

 

A família também é um elemento importante do pilar social do projeto de vida. Então, traga-a para perto, evolvendo-a no dia a dia do aluno. Oriente-a também sobre ações que pode fazer para ajudar no desenvolvimento do estudante fora da instituição de ensino, sobretudo com relação aos gostos e habilidades específicas que ele demonstrou ou relatou.

 

  • Trabalhe os pilares do projeto de vida nas disciplinas

 

O projeto de vida precisa fazer parte do dia a dia do estudante, então é importante que os professores de todas as disciplinas criem um planejamento de atividades que trabalhe com os pilares pessoal, social e profissional em sintonia com o conteúdo didático, e que isso seja completamente incorporado às rotinas.

 

  • Mantenha a escola em sintonia com o mercado de trabalho

 

A escola não pode estar à margem do mundo do trabalho. É essencial que a instituição aplique na educação elementos e ensinamentos que preparem os estudantes para as necessidades da vida real. Nesse quesito entra a tecnologia, que hoje em dia faz parte de praticamente todas as áreas de trabalho; o empreendedorismo, essencial para um mundo cada vez mais robotizado e com muitas atividades se tornando obsoletas; as soft skills, habilidades que só um trabalhador humano consegue ter; etc.

 

Como o projeto de vida ajuda na escolha dos itinerários formativos?

 

O projeto de vida, que é trabalhado desde o ensino fundamental, tem papel importante no momento da escolha do estudante por um dos itinerários formativos do Novo Ensino Médio. Essa parte flexível do currículo se desdobra em cinco caminhos:

 

  • Linguagens e suas Tecnologias
  • Matemática e suas Tecnologias
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias
  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
  • Ensino Técnico e Profissional

 

Vale ressaltar também que nem sempre os alunos terão as cinco opções de escolha, já que a escola tem autonomia para decidir quantos e quais itinerários formativos irá ofertar. De qualquer forma, quando os estudantes chegarem ao ensino médio, terão uma decisão a tomar, e é importante que ela esteja embasada pelo projeto de vida que eles já começaram a desenvolver.

 

Nesse ponto, fará toda a diferença o aluno se autoconhecer, saber do que gosta, quais habilidades que tem, o que almeja para o futuro e qual itinerário oferece o que ele precisa para seguir com os seus planos, o seu projeto de vida.

 

Como a ClipEscola pode contribuir

 

Ao enfrentar um desafio, é importante ter sempre toda a ajuda possível, não é? Nós da ClipEscola podemos te auxiliar tecnologicamente em algumas questões relativas ao projeto de vida e aos próprios itinerários formativos. 

 

A Plataforma de Transformação Digital M3I que desenvolvemos conta com recursos como:

 

  • Agenda Digital – um instrumento fundamental para engajar a família com a escola, orientá-la e trazê-la como aliada para que o aluno possa desenvolver o seu projeto de vida fora da instituição de ensino também. Vale lembrar que a participação da família é importante para o pilar “social”.

 

  • Salas de Aulas Virtuais – as salas virtuais ajudarão a escola com a questão logística da carga horária extra do Novo Ensino Médio. Afinal, com a entrada dos itinerários formativos, uma mesma turma poderá ser dividida em até cinco outras, e é preciso de espaço para isso. Como uma parte da carga horária poderá ser realizada por EaD, as salas virtuais serão de grande valia para as instituições. 

 

  • Fóruns e grupos monitorados só de alunos –  as salas virtuais da nossa plataforma possuem fóruns e grupos de conversas só de alunos que podem ser monitorados pela escola. Tais ferramentas colaboram muito com a interação entre colegas e o aprendizado colaborativo, essenciais para o pilar “social” do projeto de vida. Além disso, esses recursos, bem como as próprias salas e o ambiente virtual no qual elas estão inseridas, proporcionam ao aluno um contato constante com conhecimentos tecnológicos importantes para o pilar “profissional”.

 

Esses exemplos de usos dos recursos da nossa plataforma são apenas um breve resumo das possibilidades. A escola pode explorá-los também para a aplicação de metodologias ativas e muito mais, basta aliar criatividade à tecnologia! Para conhecer mais detalhadamente a nossa solução, solicite informações por aqui.

 

Leia mais
– Novo Ensino Médio: o ensino remoto como solução para o aumento da carga horária
– Reforma do Ensino Médio e ClipEscola: confira tudo o que a solução oferece

 

Prepare a sua escola para trabalhar o projeto de vida com o aluno e conte com a Clip para tudo o que precisar!

 

CTA - Infográfico - Sala de Aula Virtual ClipEscola

AUTOR:

Graziela Balardim

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.