facebook Atendimento por email Agende uma visita Ligue Agora Atendimento online Atendimento Online 2 Whatsapp whatsapp 2 corretor

A sua escola já “arrumou a casa”?

9 de setembro de 2016 | 1 comentário | Categoria(s): Tendências

Tempo estimado de leitura: 3 minutos (586 palavras, 3526 caracteres)

Otimismo é indispensável para o sucesso de qualquer empreitada, mas é necessário que nossas expectativas estejam fundamentadas em dados e em uma visão compreensiva da realidade. No mercado educacional, a previsão apresentada em pesquisa da consultoria Advance é de retração de 2%. Mas o que diferencia quem está melhor do que a média de quem está abaixo? Segundo os especialistas, é “ter arrumado a casa”.

 

O que eles chamam de “arrumar a casa” se refere à eficiência operacional, ou seja, é eliminar os ruídos da comunicação, identificar os gargalos que prejudicam a agilidade, rever o fluxo dos processos, controlar os desperdícios e reduzir custos. As instituições educacionais que já venceram esses desafios se sentem preparadas para investir em diferenciais e inovação, ganhando mercado e superando a competição.

 

O paradoxo da situação é que enquanto as escolas de “casa arrumada” são as que estão mais abertas e dispostas a adotar novas ferramentas e soluções, as que ainda estão com as “engrenagens” emperradas são justamente as que mais precisam de “atalhos” para atingir a sustentabilidade que vai lhes manter flutuando em meio às tempestades.

 


A maioria esmagadora (95%) das instituições pesquisadas reconhece a tecnologia como um dos fatores mais relevantes para minimizar os impactos da crise. E nesse ponto temos outra incongruência, pois 62% das respondentes utilizam um Sistema de Gestão Educacional desenvolvido internamente e não pretendem trocá-lo por uma solução mais profissional, ainda que a que usem não seja eficiente e nem satisfatória.

 

Por outro lado, as instituições que já possuem sistemas de gestão disponíveis no mercado estão mais antenadas nas tendências e se preocupam em utilizar os potenciais trazidos pela internet, pelos dispositivos portáteis, como celulares e tablets, e pelo armazenamento em nuvem – o que nem sempre é proporcionado por seus fornecedores. A dica nesse caso é adotar novas soluções, como os aplicativos de comunicação escolar, e que se preocupem em realizar a integração de dados com as ferramentas já utilizadas.

 

O aspecto do treinamento, que por vezes demanda muitas horas, é um dos principais a causar resistência nas equipes educacionais em relação aos sistemas de gestão. E esse é mais um bom motivo para experimentar um app de comunicação escolar, pois a implantação é extremamente ágil e na mesma semana da contratação os profissionais já conseguem realizar as atividades como se estivessem trocando uma mensagem no WhatsApp ou marcando um evento no calendário do celular.

 

A questão do “ganhar mercado” é algo que exige especial atenção nesse momento, pois a base de alunos das instituições privadas não deve se ampliar por enquanto, o que significa que fidelizar e reter se torna ainda mais vital. Nas palavras dos pesquisadores da Advance: “ A ‘pizza’ não está crescendo, portanto, se temos de um lado instituições aumentando a fatia de mercado é porque elas estão ‘roubando’ a fatia da pizza de instituições que não fizeram sua lição de casa e não se modernizaram”.

 

Leia mais
– O poder de uma comunicação mais eficiente
– Você conhece os riscos de grupos de WhatsApp entre professores e pais?

 

Como está a comunicação educacional na sua escola? Já arrumaram a casa e eliminaram os ruídos? Comente aqui!

 

atendimento ClipEscola

 


1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Diana Oliveira Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Diana Oliveira
Visitante
Diana Oliveira

Amei o assunto!!!