perfil de pai

COMPARTILHE

20 de maio - 2016

Um jeito de conversar para cada perfil de pai

Tempo estimado de leitura: 4 minutos (771 palavras, 4629 caracteres)

No mês passado falamos sobre os diferentes perfis de pais revelados pela pesquisa Atitudes pela educação. Agora, abordaremos as melhores formas para os educadores se comunicarem com cada um desses perfis, ajudando ambos – e principalmente os estudantes – na superação dos desafios específicos gerados por cada combinação, entre valorização da educação e vínculo familiar.

 

Daremos as dicas em ordem de dificuldade, começando com os casos mais fáceis, nos quais os pais estão mais predispostos a participar, e concluiremos com aqueles nos quais é necessário mais inventividade nas estratégias.

 

Comprometidos

 

Com os comprometidos parece simples, não é? Afinal, eles mesmos procuram a escola para saber como o filho está se saindo, para quando estão programados os eventos, se há materiais que precisam ser comprados etc.

 

No entanto, com esse perfil é necessário muito cuidado, pois se ele não tiver suas expectativas concretizadas ou se ele sentir que as necessidades do aluno não estão sendo atendidas, esse mesmo comprometimento e proatividade podem levá-lo a buscar outra escola.

 

Por exemplo, se ele ver que a instituição insiste em utilizar meios de comunicação superados – como os recadinhos na agenda escolar ou circulares por e-mail –, pode haver frustração em relação ao desejo de acompanhar os acontecimentos acadêmicos pelo smartphone, em qualquer lugar e a qualquer momento. Em uma situação assim, ele pode começar a pesquisar estabelecimentos que ofereçam essa opção.

 

Envolvidos

 

Esse perfil valoriza a qualidade do ensino e muito provavelmente escolheu a escola para o seu filho após muita pesquisa e recomendações. A dificuldade desse responsável está em outra área: o vínculo com o educando.

 

Aí surge a oportunidade da escola superar as melhores previsões sobre o seu papel. Com os professores podendo compartilhar fotos e vídeos em tempo real, os pais passam a se sentir presentes na hora do lanche, no ensaio da peça de teatro, no primeiro gol na educação física, entre várias outras ocasiões imperdíveis, fortalecendo os laços afetivos.

 

Vinculados

 

Os vinculados representam a situação oposta: vínculos fortes e pouca valorização da educação. Esse grupo é um dos que possui a maior escolaridade e a maior presença feminina. Podemos supor que com a jornada dupla da mulher e com as responsabilidades acumuladas por aqueles que alongam a vida acadêmica, sobra pouco tempo para a interação com os filhos e é natural a preferência pelas experiências afetivas em detrimento das atividades escolares.

 


O que podemos fazer por esses pais é facilitar a participação, com lembretes para os eventos, disponibilização dos materiais didáticos em formatos digitais, objetividade nos pareceres, fornecendo uma complementação à vida familiar, sem perdas.

 

Intermediários

 

Os intermediários reconhecem a importância tanto da escola quanto da família, mas possuem limitações para estarem tão presentes e próximos como gostariam. O que temos que fazer nesse caso é empoderar esses pais, transformando suas intenções em resultados.

 

Uma das formas de fazer isso é oferecer canais de comunicação com outros atores do processo educativo que já saibam melhor como agir, podendo ser coordenadores pedagógicos, professores e até mesmo outros pais de alunos. Mas é claro que não dá para ficar passando o número pessoal de todo mundo, então um aplicativo que centralize as comunicações mantendo a privacidade é a melhor opção.

 

Distantes

 

A solução para os distantes é integrar, não há dúvidas. Mas esse processo não pode ser traumático, pois é possível que o medo já esteja na raiz desse afastamento e queremos solucionar o problema, não agravá-lo.

 

Não podemos deixar que esse responsável se sinta esmagado pelas obrigações, compromissos e questionamentos. Devemos fornecer tudo em doses homeopáticas, preocupando-nos em fazer com que sua inserção seja tranquila e benéfica, assim como a de seu educando.

 

Recados curtos, com respostas pré-prontas, podem convencer esse perfil de que não é tão difícil assim e ele pode conseguir.

 

Leia mais
– Gerações sem conflitos: os pais de cada época
– Reuniões eficientes resultam em engajamento dos pais com a escola

 

Gostou das dicas? Qual é o perfil que mais gera desafios em sua escola? Compartilhe com a gente!

 

CE_CTA_eBook_apresentacao