Skip to content
Instituto Monsenhor Hipólito

COMPARTILHE

06 de julho - 2020

Case: Instituto Monsenhor Hipólito se adapta bem às aulas remotas e conquista engajamento dos colaboradores e das famílias

Tempo estimado de leitura: 7 minutos (1400 palavras, 8096 caracteres)

O Instituto Monsenhor Hipólito (IMH), no Piauí, também foi pego de surpresa com a pandemia, como todas as escolas. A reação que teve ao novo momento, no entanto, o destacou nesse cenário. O medo deu lugar à coragem, à determinação e à ousadia. O “problema” se tornou um desafio a ser vencido. A sinergia se espalhou entre colaboradores, famílias e alunos. O isolamento social virou um “bicho-papão domesticado”.

 

O começo

 

O primeiro passo, quando tudo começou, foi descobrir como dar continuidade às aulas de maneira remota. A ClipEscola já havia sido adotada pela instituição de ensino um pouco antes da pandemia, mas na época o objetivo era apenas a comunicação escolar. A solução ainda não possuía, por exemplo, o recurso de transmissões ao vivo, que foi incorporado a ela em março, após o início da quarentena.

 

Inicialmente a IMH chegou até a procurar outras plataformas para a finalidade de EaD, mas depois desistiu da ideia. “A nossa preocupação, que acho que era a preocupação de todos, era como cadastrar em tempo hábil todo mundo”, relata a coordenadora Andréia Marcos. Então ela começou a pensar na possibilidade de usar a ClipEscola não apenas como agenda digital, mas como um canal para a continuidade das aulas de forma remota.

 

“Nós já tínhamos muitas famílias cadastradas na ClipEscola, então a gente apenas concluiu esse cadastro. Tem que pensar nisso também. E essa foi sem dúvida a melhor decisão que a gente teve”, assegura com a coordenadora, com o olhar e o sorriso de alguém que fez uma boa escolha.

 

Conforme Andréia, a escola viu que apesar de a Plataforma ClipEscola ter sido adotada com o intuito comunicacional, ela também viabilizava a organização das turmas, bem como dos comunicados e das atividades. Questionaram então à empresa se era possível o envio de videoaulas pela solução, e receberam a resposta que queriam ouvir: SIM! “Percebemos que não era viável pensar em um outro meio, até porque a gente viu que dentro da ClipEscola tudo era possível”, relembra.

 


A adaptação

 

A preocupação imediata da escola foi a adaptação das famílias. Andréia explica que o primeiro momento foi de suporte intenso, cadastrando todos que faltavam na ClipEscola e ajudando-os na adaptação à plataforma. Depois foi o momento de preparar os professores para esse novo uso da ferramenta, e em seguida, os alunos.

 

“A nossa equipe aqui é fantástica. Quando a gente apresentou para eles qual seria a plataforma para interações nas aulas remotas, eles abraçam a ideia, e isso é muito importante”, enfatiza a coordenadora. Ela conta que todos se ajudaram e ninguém apresentou indisposição em nenhum instante. “Acho que esse é o momento de estar todo mundo alinhado, junto, para fazer o melhor por todos os nossos alunos”, conclui.

 

A evolução

 

O novo cenário digital, que no início exigiu a adaptação de todos, também trouxe evolução. “Muitas pessoas veem malefícios, mas eu particularmente vejo muitos benefícios diante do que a gente está vivenciando. É um novo acordar para as ferramentas educacionais”, enfatiza a coordenadora. Ela acredita que o momento atual mostrou a todos que a tecnologia é a nossa atualidade, e que ela é necessária.

 

Um dos pontos positivos que Andréia destaca é o armazenamento e a organização das aulas e atividades. “Qualquer aluno que a gente matricular hoje é capaz de ver tudo o que aconteceu, que foi publicado, todos os comunicados, todas as videoaulas”, explica. Ela também cita como positivo o fato de agora os pais estarem mais próximos dos filhos, acompanhando o que eles estudam e fazendo parte das inovações na educação.

 

Outra destaque do momento atual, conforme Andréia, é o “empoderamento dos alunos” nas apresentações que eles realizam pela ClipEscola, o que demonstra habilidade no uso da tecnologia. “A gente sabe que essa garotada gosta muito e tem muita facilidade (no uso da tecnologia), só precisa de encaminhamento, de direcionamento sobre qual é a melhor forma de usar, que eles encantam a todos nós”

 

O que entrará para as rotinas normais após a pandemia

 

Toda a experiência digital que o Instituto Monsenhor Hipólito está vivenciando nesta quarentena terá reflexos no futuro, e agregará à educação em períodos normais, quando a pandemia já tiver sido vencida. Ao menos, essa é a aposta da coordenadora Andréia. Ela vê dois pontos principais dessa experiência que se somarão às rotinas normais: os seminários, que começaram a ser realizados na pandemia por meio da plataforma ClipEscola; e a agilidade na comunicação com as famílias.

 

A IMH já tinha começado a usar a ClipEscola para a comunicação escolar antes do isolamento social, mas após a pandemia as comunicações se intensificaram e mais familiares foram cadastrados. Essa comunicação ágil, próxima e organizada continuará no cenário pós-pandemia.

 

Para Andréia, a plataforma resolveu uma grande preocupação: ter a certeza de que as informações enviadas pela escola chegariam efetivamente às famílias. “Hoje nós temos essa tranquilidade, porque nós temos certeza para quem foi entregue essa comunicação, quem já a recebeu e quem precisa ainda receber”. 

 

As comunicações pelo WhatsApp eram uma outra preocupação. A coordenadora relembra que eram interações difíceis de finalizar. Havia também o problema da falta de privacidade dos colaboradores, pois em grupos, o número do celular de todos fica visível para todos. Ou seja, o número pessoal dos colaboradores pode ser adicionado pelos pais para conversas privadas a qualquer horário. Já na ClipEscola, os números ficam ocultos, as comunicações são por recados digitais e a escola consegue definir um horário para respostas.

 

“O maior privilégio é a privacidade que a ClipEscola oferece para a gente. Até as videoaulas não ficam expostas para qualquer pessoa olhar, ficam lá na ClipEscola. Então a gente acaba preservando muito os profissionais da casa, os nossos alunos e famílias”, assegura Andréia. 

 

Assista ao case de sucesso do IMH em vídeo

 

Quer conferir esse case em vídeo? Tudo bem! Assista a uma parte do depoimento da coordenadora Andréia Marcos:

 

 

 

Inspire-se no exemplo do Instituto Monsenhor Hipólito

 

Como você viu, o Instituto Monsenhor Hipólito conseguiu se sair muito bem no cenário de isolamento social. Chegou até a receber ligações de outras escolas que queriam saber o que eles estavam fazendo que estava dando tão certo. Realmente, o IMH é um exemplo para se inspirar!

 

Na instituição, a união e cooperação da equipe foi determinante para o sucesso. Outro ponto importante foi o bom uso da tecnologia para a comunicação com as famílias e para a manutenção das aulas. Tudo isso foi estruturado dentro da Plataforma ClipEscola.

 

A solução oferece diversos recursos para as necessidades escolares, entre eles, funcionalidades voltadas à comunicação e a aulas remotas. Pela ClipEscola é possível:

 

  • Realizar transmissões de aulas ao vivo
  • Enviar links de transmissões externas
  • Enviar aulas gravadas
  • Enviar materiais
  • Receber trabalhos
  • Aplicar provas e exercícios
  • Realizar a comunicação com alunos e famílias de forma estruturada
  • E muito mais!

 

Quer a nossa ajuda para obter sucesso em suas aulas remotas de agora, e nas híbridas que ocorrerão em um futuro próximo? Então solicite contato por aqui!

 

Leia mais
– 8 tutoriais em vídeo para ajudar professores e escolas nas transmissões ao vivo
– Ensino híbrido: a nova cara da educação após a pandemia

 

Bacana o exemplo do Instituto Monsenhor Hipólito, não acha? Caso a sua escola não esteja se saindo tão bem quanto ele, use-o como exemplo e mude a sua realidade. Sempre há tempo para fazer diferente!

 

CTA - Infográfico - Sala de Aula Virtual ClipEscola

AUTOR:

Graziela Balardim

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.