Escola bilíngue

Compartilhe

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Escola bilíngue: vantagens e desafios de aderir a esse sistema

Sumário

Evoluir é preciso! Se você caiu aqui neste artigo é porque sabe bem disso. Percebeu que uma das maneiras de buscar por essa evolução na sua instituição de ensino é tornando-a uma escola bilíngue, não foi? Olha, o desafio não é pequeno não, mas as dicas que você encontrará aqui vão te ajudar! Vamos nessa?

 

O que é uma escola bilíngue?

 

Antes de mais nada, vamos entender bem o conceito, tá bom? Uma escola bilíngue não é aquela que apenas oferece uma carga horária maior da disciplina de inglês ou que oferece-a no contraturno e sem vínculo com o currículo. Esses casos se encaixam em outras definições.

 

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a oferta de Educação Plurilíngue aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) em 2020, e que no momento aguardam homologação do governo federal, uma escola bilíngue é aquela que promove um currículo único, que é integrado e ministrado em dois idiomas. Ou seja, as disciplinas normais são ensinadas em parte nesse segundo idioma.

 

O documento define ainda que para a instituição se denominar bilíngue, ela precisa promover esse ensino no idioma adicional em todas as etapas pedagógicas: ensino infantil, fundamental e médio. A implantação pode ser gradual.

 

A carga horária do currículo que é ministrada na língua adicional também é determinante para definir se a escola é ou não bilíngue. Para usar essa denominação, as diretrizes definem que é preciso atender aos seguintes parâmetros:

 

  • Ensino Infantil – Ter a língua adicional em 30% das atividades curriculares no mínimo e em 50% no máximo.
  • Ensino Fundamental – Ter a língua adicional em 30% das atividades curriculares no mínimo e em 50% no máximo.
  • Ensino Médio – Ter a língua adicional em 20% das atividades curriculares oficiais no mínimo, podendo a instituição incluir os itinerários formativos na segunda língua.

 

 

Quais são as vantagens de ter uma escola bilíngue?

 

Agora que você já entende melhor qual é o conceito de escola bilíngue, certamente está querendo saber se é vantagem ter todo o trabalho necessário para transformar a sua escola em uma, não é mesmo? Então vamos ver! Eis aqui algumas vantagens:

 

  • Procura em alta

 

Os pais dos alunos estão cada vez mais conscientes do peso que a fluência em um segundo idioma – em especial o inglês – tem no currículo. De acordo com pesquisa realizada pela Catho, um profissional brasileiro fluente em inglês pode ter um salário até 61% maior do que um sem essa fluência. Então, já de olho no futuro profissional dos filhos, muitos pais e responsáveis têm optado por escolas bilíngues.

 

Percebendo esse nicho de mercado, o segmento educacional se adaptou. Somente entre 2014 e 2019 o número de escolas bilíngues cresceu 10% no Brasil, conforme dados da Associação Brasileira do Ensino Bilíngue (Abebi). Das 40 mil escolas particulares do país, cerca de 1,2 mil são bilíngues ou apresentam algum programa bilíngue.

 

  • Diferencial competitivo

 

Uma escola bilíngue tem um importante diferencial competitivo. Isso porque, apesar do crescimento desse mercado no país, o fato é que a maior parte das instituições de ensino particulares ainda não é bilíngue. Portanto, ainda há um oceano azul pela frente a ser explorado!

 

Esse diferencial, inclusive, pode se apoiar no argumento de que matriculando o filho em uma escola bilíngue, os pais não precisam ter o custo de matriculá-lo também em um cursinho de idiomas no qual ele precisaria frequentar por muitos anos até adquirir a fluência. Além de tudo, a fluência adquirida em uma instituição bilíngue vem de um processo mais natural, já que a segunda língua permeia todos os conteúdos.

 

  • Favorecimento no desenvolvimento dos alunos

 

Quando uma criança aprende um segundo idioma, ela tem um desenvolvimento maior das redes neurais vinculadas ao pensamento e à fala. A capacidade de raciocínio lógico também é beneficiada, o que pode se refletir em uma melhora do rendimento em matemática, por exemplo. De maneira geral, todo o desenvolvimento do aluno é favorecido.

 

Quais são os desafios de ter uma escola bilíngue?

 

Tá tudo muito bom, tá tudo muito bem… mas e quanto aos desafios de se tornar uma escola bilíngue? Ahhh… você estava achando que eu tinha esquecido dessa parte, né? É justamente o que vamos ver agora:

 

  • Planejamento financeiro para torna-se uma escola bilíngue

 

Você sabe que há custos envolvidos no processo de tornar-se uma escola bilíngue, certo? Então, não vá “meter os pés pelas mãos”, hein? É importante que a sua instituição prepare-se financeiramente para essa empreitada! Por isso, faça um levantamento de gastos bem detalhado. Alguns que provavelmente você terá são:

 

– Contratação de uma empresa para ajudar a escola a fazer essa virada de chave

– Contratação de mais professores, e com salários de profissionais bilíngues

– Reformas e adequações na estrutura da escola

 

Quando todos os custos estiverem bem na ponta do lápis, é possível verificar se a escola já tem condições de dar esse passo agora ou se é preciso aguardar e economizar para poder investir com mais segurança. Então, fica a dica!

 

  • Aplicação do conceito de escola bilíngue conforme diretrizes aprovadas pela CNE

 

As Diretrizes Curriculares Nacionais para a oferta de Educação Plurilíngue, que já foram aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), ainda aguardam homologação do governo federal. Porém, se a sua instituição ainda vai se tornar uma escola bilíngue, o melhor é que já faça isso buscando a adequação a essas diretrizes, para assim não ter esse trabalho depois. Melhor, né?

 

Então, confira este documento direitinho e veja tudo o que é preciso fazer. É claro que é bastante trabalho, mas é melhor tê-lo agora do que fazer algo desalinhado com as diretrizes e não poder usar o termo “escola bilíngue” depois, não é? Afinal, esse nome tem peso, e fará a diferença na captação de alunos.

 

  • Escolha de uma boa empresa para ajudar na implementação

 

Há empresas que oferecem serviços para auxiliar a instituição a se tornar bilíngue. Elas já possuem projetos prontos para essa adequação e também realizam o treinamento dos professores e o acompanhamento. Então, se a sua escola decidir contratar uma empresa que oferece esse serviço, terá uma boa ajuda.

 

É preciso, porém, que você pesquise bastante. Tornar-se uma escola bilíngue é um grande passo, e não deve ser dado de maneira apressada. Busque uma opção que faça sentido para a sua instituição. Não esqueça de verificar também se o projeto apresentado se alinha com as diretrizes aprovadas pelo CNE. 

 

  • Mudanças em toda a escola

 

O processo de tornar-se uma escola bilíngue implica em diversas mudanças na instituição, o que é um grande desafio. Veja algumas das principais adaptações necessárias:

 

Espaços

 

É importante que todos os espaços da escola sejam adaptados para o bilinguismo. Placas de sinalização, placas nas portas e cardápio da cantina, por exemplo, devem estar nos dois idiomas. É interessante também que os espaços de convivência tragam um pouco da atmosfera cultural do país correspondente ao segundo idioma da escola. 

 

Colaboradores

 

Em uma escola bilíngue, não é apenas na sala de aula que a comunicação ocorre em dois idiomas. Colaboradores da secretaria, da biblioteca, da cantina, entre outros, também devem estar habilitados a falar com os alunos nos dois idiomas. Por isso, é importante que a instituição treine todos os colaboradores e comece a pesar esse aspecto nas novas contratações.

 

Materiais

 

A adaptação também atinge os materiais didáticos. Em uma escola bilíngue, todas as disciplinas são ministradas nos dois idiomas, então, todos os materiais também precisam ser bilíngues.

 

  • Comunicar as mudanças aos pais e colaboradores

 

Quando uma escola se torna bilíngue, as mudanças são profundas. Mensalidades de instituições bilíngues também são diferentes das que não são. Portanto, a sua escola precisa fazer um bom trabalho de comunicação com os pais e responsáveis dos alunos atuais, que se matricularam antes de toda essa mudança, e que não contavam com ela.

 

O ideal é que tudo seja muito transparente e que eles não sejam informados das mudanças apenas nos momentos finais do processo, mas sim ao longo de todo o caminho. Assim, terão tempo de ir se acostumando e de tirar todas as dúvidas que surgirem. 

 

Outro ponto importante é a comunicação com os colaboradores. Eles certamente ficarão preocupados, pois boa parte deles provavelmente não é fluente no segundo idioma que a escola adotará. É importante mantê-los informados sobre como se dará a mudança, como serão os treinamentos e tudo o que afetar a rotina deles. 

 

 

Como a ClipEscola pode ajudar?

 

Sabe em qual aspecto a ClipEscola consegue te ajudar no desafio de se tornar uma escola bilíngue? Na parte de comunicação, é claro! Como você viu no tópico anterior, a comunicação com os pais dos alunos atuais, bem como com os colaboradores, é de vital importância, pois mudança é uma coisa que assusta, então uma comunicação efetiva faz total diferença.

 

Aqui na Clip nós temos a agenda digital escolar mais completa que você encontrará no mercado. Ela cobre todos os pontos de contato entre pais, responsáveis e escola. Temos ainda um módulo de comunicação interna muito bem estruturado, que permite uma comunicação bem redonda com todos os times da escola e com colaboradores terceirizados.

 

Ahhh… te falei que o nosso app é trilíngue? Sim senhor! Ele pode ser usado em português (o do Brasil ou o de Portugal); em inglês ou em mandarim. Então, depois que a sua escola fizer a virada de chave e se tornar bilíngue, se o segundo idioma for o inglês ou o mandarim, dá para aproveitar essas opções! Para saber mais sobre as nossas soluções, entre em contato com a gente por aqui.

 

Leia mais
– Inglês no Novo Ensino Médio: principais dúvidas
– Quais as vantagens do app de comunicação para escolas de idiomas?

 

E então, decidiu se vai encarar o desafio e se tornar uma escola bilíngue? Lembre-se que estamos aqui para te ajudar com toda a parte de comunicação!

CTA_Agenda Digital ClipEscola

Compartilhe

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn