Skip to content
Case de Sucesso ClipEscola - Colégio EBE Objetivo

COMPARTILHE

28 de agosto - 2020

Case: Colégio EBE Objetivo usa experiência atual como laboratório de ideias para evolução constante no ensino e aprendizagem

Tempo estimado de leitura: 9 minutos (1784 palavras, 10219 caracteres)

A mente de Milene Hormigo Kobayashi “está a mil”. Diretora pedagógica do Colégio EBE Objetivo, ela consegue encontrar inspiração em meio ao caos. Quando as escolas precisaram fechar devido à pandemia, deixando muitos gestores escolares temerosos, ela levantou a cabeça e disse: “esse é o nosso momento”. Todas as inovações que a diretora já vinha implantando na escola encontraram na quarentena o cenário perfeito para o engajamento de todos. Outras também surgiram, e prometem ficar por mais tempo!

 

Aceleração da cultura digital

 

O ritmo de inovação no Colégio EBE Objetivo já era intenso antes mesmo da pandemia. A Plataforma ClipEscola, por exemplo, já era utilizada há dois anos para a comunicação escolar. Muitos outros recursos tecnológicos também era empregados no campo pedagógico, visando aprimorar o desenvolvimento dos alunos. Conforme Milene ressalta, a pandemia só veio para reforçar tudo isso.

 

“Quando entrou a sala de aula virtual, nossa, eu chorei de alegria”, relembra a diretora, referindo-se às salas virtuais da ClipEscola. Na voz, o entusiasmo bem típico das pessoas que sempre escolhem enxergar o copo meio cheio. 

 

A ânsia da diretora por por modernizar o ensino sempre encontrou eco na mantenedora da escola, uma senhora de 72 anos, que como Milene, via o potencial da tecnologia para a educação e para os processos da escola. “Ela é a favor do uso de tecnologia em tudo o que você possa imaginar”, assegura a diretora.

 


Mudança na visão dos professores

 

Os professores, porém, nem sempre se engajavam com as “ideias modernas” facilmente. Milene conta que às vezes demorava muito para os educadores entenderem essa necessidade. No entanto, com a vinda da pandemia, não teve jeito, todos tiveram que se abrir à tecnologia! 

 

“Eu tenho professores de 60 anos que tiveram que se reinventar. Tiveram que sair do giz e ir para frente do computador. E hoje eles falam pra mim: “ah eu tô adorando”. Eu falei: tá vendo?”, conta a diretora.

 

Engajamento massivo dos pais

 

Nem todos os pais de alunos também entendiam a importância da tecnologia antes do cenário pandêmico. Alguns, por exemplo, não tinham ainda o app da ClipEscola instalado no celular, mesmo a escola já tendo adotado a solução há dois anos para a comunicação com eles. Na pandemia, porém, 100% dos pais instalaram o aplicativo da ClipEscola no celular.

 

“Às vezes eu atendia pai dentro do colégio que falava assim: “ClipEscola, que negócio é esse, eu não tenho esse negócio. Eu quero falar com vocês, quero falar aqui ó, olho no olho”. Aí de repente ele precisou, ele sentiu a necessidade de ter o aplicativo. Foi então que eu falei: Uhhh venci! Consegui! Agora eu tenho todo mundo!”, comemora a diretora.

 

O valor dessa comunicação ágil e organizada se mostrou mais do que nunca na pandemia. Milene explica que foi algo primordial, o meio com o qual ela conseguiu não perder o vínculo com os pais. “Eu não perdi esse contato, ninguém perdeu, nem o financeiro”, conta.

 

Uma facilidade que Milene destaca na ferramenta é a possibilidade de conferir até a data e a hora em que os pais receberam e leram os recados da instituição. Ela diz que quando algum pai alegava que não tinha recebido tal comunicado, ela verificava e respondia: “pai, você recebeu no dia tal, no horário tal, e leu, nesse dia e nesse horário”. Agora, segundo a diretora, ninguém mais diz que não recebeu.

 

Facilidade dos estudantes

 

As mudanças provocadas pelo cenário pandêmico – como a troca das aulas presenciais pelas virtuais – não foram nenhum desafio para aqueles que já nasceram na era digital: os estudantes. “Essa geração que está vindo aí, eles estão dando de 10 a zero na gente”, assegura Milene. Ela diz que a escola percebeu que alunos que não participavam nas aulas presenciais agora “estão voando”, participando constantemente.

 

Para ela, isso mostra que eles precisavam de uma oportunidade diferente, pois nem todos aprendem da mesma forma. “Tem que trazer a realidade para o aluno. Essa realidade aí de livro, só livro, não é legal, sabe? Eles precisam de alguma coisa que chame a atenção, e o virtual chama”, garante.

 

A experiência de EaD estava sendo tão rica que Milene nem queria dar férias antecipadas aos estudantes. Ela disse que chegou a ser muito cobrada pelos pais a fazer isso em março, logo que a pandemia começou, mas ela não deu. Quando, porém, precisou dar férias em maio, a pedido da diretoria de de ensino de Guarulhos, os pais reclamaram, pois viram o quanto as aulas virtuais estavam funcionando bem. O momento de férias, no entanto, serviu para que todos se equipassem tecnologicamente e voltassem para as aulas virtuais “turbinados”.

 

Aprendizados da pandemia e evoluções à vista

 

“Muita coisa vai mudar”, garante Milene, falando de um cenário pós-pandêmico. A diretora observou muitas coisas positivas em tudo o que foi testado no contexto atual de ensino remoto, e se depender dela, isso renderá frutos.

 

“Tem que se reinventar, não adianta ficar para trás como era, ou como são algumas escolas ainda. Não vai conseguir, vai morrer. A escola fecha. Porque o aluno vai em busca do novo né. Ainda mais agora que ele sentiu o gostinho. Então agora que ele sentiu o gostinho, ele não vai querer voltar ao que era antes”, afirma.

 

Alguns recursos que não devem ser aposentados após a pandemia pelo Colégio EBE Objetivo são:

 

Salas de aula virtuais

 

A sala de aula virtual é algo que Milene não pretende extinguir. “A gente tende mesmo a continuar com sala de aula virtual para alguns momentos”, conta. Ela explica que para as aulas de reforço, por exemplo, as salas podem ser usadas para que o aluno não precise se deslocar até o colégio.

 

A diretora também cogita continuar com as salas para a parte de cursinho. “Hoje o cursinho roda muito bem, e provavelmente é um dos cursos que não vai voltar presencial. Eu, por mim, não voltaria”, pondera.

 

Provas Online

 

As provas online, que são utilizadas atualmente, também não devem ser extintas após a pandemia. Milene pensa em mantê-las ao menos para a parte de simulados. “Ao invés de […] o financeiro gastar para a estrutura dentro do colégio, chamando professores para fazer a aplicação de provas, a gente gasta em estrutura tecnológica, entendeu? Vamos fazer provas com simulado online, vamos monitorar essas provas, não deixar isso morrer”, declara.

 

Recomendações aos gestores escolares

 

A experiência do Colégio EBE Objetivo no cenário pandêmico está sendo muito bem-sucedida. A diretora pedagógica Milene compartilha com os gestores escolares de outras instituições de ensino algumas recomendações para que eles também tenham êxito.

 

“Olha, o conselho que eu dou é para acreditar no ClipEscola, acreditar na equipe. Faz parte, não é fácil, mas a gente consegue junto, nessa caminhada, fazer essa transformação. Sair do presencial para o mundo virtual utilizando as tecnologias”, afirma. Milene acredita que este é o momento de o colégio enfrentar os obstáculos, se reinventar e mostrar que é capaz de trazer a tecnologia para dentro da escola.

 

“Se nós não enfrentarmos isso, as escolas vão fechar, porque é o mundo que os alunos precisam. Tem que se capacitar sim, assistir tudo o que vocês (ClipEscola) passam e correr atrás. Porque não tem como mais a gente ficar como nós éramos antes da pandemia”, garante.

 

A diretora explica que o professor e a tecnologia devem somar para o aprendizado do aluno, e que a realidade não deve ser ignorada. “O aluno tem o celular dentro da sala de aula, e o que ele precisar ele procura no Google, e ele vai encontrar a resposta. Então assim, será que é tão necessário o professor? Ele é! Mas para ele ser o mediador hoje. Ele tem que ser mediador do aprendizado”, destaca.

 

Milene acredita que os professores devem ser capacitados para o novo mundo, e que este é o momento para isso. Ela recomenda que as escolas testem, acreditem, capacitem, enfrentem o desconhecido e se reinventem. “E tendo um aplicativo e uma equipe excelente como vocês (ClipEscola), eu acho que não tem o que temer”, completa. 

 

Assista a uma parte desse case em vídeo

 

Que tal ver uma parte do depoimento da diretora pedagógica do Colégio EBE Objetivo, Milene Hormigo Kobayashi, em formato de vídeo? É só dar play!

 

 

Como a ClipEscola pode ajudar a sua instituição de ensino

 

Nós da ClipEscola podemos dar todo o suporte de que a sua instituição de ensino precisa tanto no cenário de ensino remoto quanto no de ensino híbrido. Desenvolvemos a Plataforma de Transformação Digital M3I, solução madura que contempla recursos para:

 

  • Aulas Virtuais com Transmissões ao Vivo
  • Envio de materiais de forma categorizada por disciplina
  • Aplicação de provas virtuais
  • Comunicação organizada com pais e alunos
  • Comunicação interna organizada e hierarquizada
  • Reuniões online entre as equipes
  • Captação de alunos
  • Matrículas e rematrículas online com assinatura digital
  • Automação dos recebimentos e cobranças

 

Além de recursos bem estruturados para diversas necessidades escolares – em especial a comunicação, as aulas virtuais e os recebimentos – nós também possuímos uma equipe muito capacitada para dar todo o suporte de que você necessita. Temos também um ambiente de EaD exclusivo para a capacitação dos clientes para o uso dos nossos recursos. Saiba mais informações por aqui.

 

Leia mais
– Como a ClipEscola pode ajudar a sua escola no período de aulas suspensas
– Como a ClipEscola pode ajudar a sua instituição na volta às aulas

 

Espero que você tenha se inspirado com esse case de sucesso do Colégio EBE Objetivo. Se precisar de ajuda para começar a transformação digital na sua escola, conte com a gente!

 

CTA_Saiba mais sobre a ClipEscola

AUTOR:

Graziela Balardim

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.