fbpx Skip to content
Como abrir uma escola

COMPARTILHE

04 de julho - 2022

Como abrir uma escola: tudo o que você precisa saber!

Tempo estimado de leitura: 15 minutos (3034 palavras, 17281 caracteres)

Você quer empreender no ramo da educação, mas não faz ideia de como abrir uma escola? Então chegou ao lugar certo! Há bastante trabalho pela frente, e as nossas dicas vão te ajudar a ter um norte para começar. Venha, vamos ver o que é preciso!

 

1. Verifique sua formação

 

Primeiro de tudo, você é pedagogo? Se a sua resposta for sim, pode pular para o próximo tópico, porque aqui está tudo certo. Agora… se a resposta for não… bem, há dois caminhos para você. Um deles é começar agora uma faculdade de pedagogia e adiar por uns anos os planos de abrir uma escola, aguardando a sua formação ser concluída. O outro é contratar um pedagogo responsável.

 

2. Defina uma linha pedagógica

 

Quando começamos a planejar como abrir uma escola, geralmente já temos em mente a linha pedagógica que ela terá. Há diversos métodos possíveis, e aquele que for escolhido definirá os rumos que a instituição irá seguir no tocante à educação.

 

Algumas metodologias têm impacto na própria estrutura da sala de aula e da escola. Modelos como o Método Montessori e o Waldorf, por exemplo, têm bastante particularidades nesse sentido. Os materiais utilizados nas práticas e as contratações de professores também costumam ter influência do método de ensino que a escola usa. Então, pese todos esses pontos na sua decisão!

 

 

3. Faça um plano de negócios

 

O plano de negócios é a base de qualquer empreendimento bem-sucedido. Então, se você está planejando como abrir uma escola, nem pense em pular essa parte, combinado? Confira abaixo alguns tópicos normalmente presentes nesse tipo de documento e o que eles devem conter:

 

  • Sumário executivo

 

O sumário executivo é a primeira parte do plano de negócios, mas ele deve ser feito por último, pois é um resumo de todo o projeto. É importante que ele contenha: diferenciais da sua escola, necessidade que ela irá suprir, pontos fortes e fracos, entre outras informações relevantes.

 

  • Descrição do negócio

 

Agora é o momento de descrever o projeto da sua escola em detalhes. Coloque a metodologia que ela irá seguir; os níveis de ensino que irá atender; a quantidade de turmas para cada nível; o porte inicial da escola; quais são os objetivos da instituição a curto, médio e longo prazo; entre outras informações que ajudem a detalhar como será a sua instituição de ensino.

 

  • Análise de mercado

 

Não há como abrir uma escola de sucesso sem fazer uma sólida análise de mercado, concorda? Essa é a parte mais importante de todo o plano de negócios. É aqui que você descobre se a sua instituição realmente supre uma lacuna. Então, para isso, a primeira coisa é definir um público-alvo. Com base nele, você fará uma delimitação geográfica, escolherá um local dentro dela para abrir a sua escola e investigará a concorrência que terá.

 

Local

 

Nessa escolha do local, analise os seguintes aspectos:

 

  • População local 

 

As escolas normalmente são frequentadas por pessoas que moram no próprio bairro. Então, verifique no IBGE qual é a população da região em idade escolar (na idade dos níveis de ensino que a sua escola irá oferecer).

 

  • Saturação 

 

Outra verificação necessária é em relação ao número de instituições de ensino que o bairro já possui e que oferecem os mesmos níveis de ensino que você irá oferecer. Se o bairro já estiver saturado, com escolas o suficiente para toda a população local, você pode ficar sem clientela.

 

  • Regiões perigosas 

 

Há regiões que são mais perigosas, e às vezes, até dentro de bairros em que há outras regiões que não são. Esse é um ponto de atenção, pois você terá que garantir a segurança das crianças e adolescentes que estiverem na sua escola. Então, cheque esse aspecto também.

 

  • Imóveis 

 

Outro ponto que você precisará checar é se o bairro em que você deseja abrir uma escola possui imóveis para alugar ou comprar (dependendo de qual é a sua pretensão) compatíveis com a estrutura que você precisará para a sua instituição de ensino.

 

Concorrência

 

Não há como abrir uma escola sem também analisar a concorrência, certo? Então, após checar os dados do local em que você pretende abri-la, também é necessário verificar informações sobre a concorrência:

 

  • Pontos forte e fracos dos seus concorrentes 

 

Mesmo constatando que o local não está saturado, e que há espaço para mais uma escola, ainda assim é preciso se destacar da concorrência, e o primeiro passo para isso é descobrir os pontos fortes e fracos que as outras escolas do bairro possuem.

 

  • Diferencial competitivo 

 

Após investigar os seus concorrentes, o próximo passo é descobrir qual é o diferencial competitivo da sua escola. Ela precisa ter algo que as outras não têm, então, esse é o momento de pensar nesse aspecto.

 

  • Estrutura organizacional

 

Hora de planejar a hierarquia da sua escola! Aqui você coloca os sócios (se ela tiver) e tudo o que virá abaixo: diretor, coordenador pedagógico, professores, colaboradores do administrativo/financeiro etc. Todo o quadro de colaboradores que você pretende contratar precisa estar aqui.

 

  • Plano operacional

 

Espero que você goste de listas, pois é exatamente isso o que precisará fazer aqui. É hora de listar todos os móveis, equipamentos e tecnologias que a sua escola terá. Liste até as coisas mínimas, como material de escritório. Quanto mais detalhes melhor, pois sabendo cada item que você irá precisar, ficará muito mais fácil ter uma real noção do quanto irá gastar.

 

  • Plano de marketing

 

Você já sabe como o seu público irá ficar sabendo que a sua escola existe? A divulgação é um ponto importante do planejamento de como abrir uma escola. Então, chegou o momento de pensar nesse aspecto. Há uma série de caminhos para isso, alguns com valores bem salgados e outros nem tanto. Veja as opções:

 

 

Se a sua escola for daquelas enormes, voltadas para um público A+, dá para investir em tudo isso. Já se ela for pequena ou média, vamos pensar no custo-benefício, certo? Nesse sentido, comece a lista de baixo para cima. Os dois últimos itens dela, especificamente, são os que têm menor custo e um grande potencial.

 

 

  • Plano financeiro

 

Está com a calculadora aí? Chegou o momento de usá-la até gastar as teclas! Há vários cálculos necessários, e não há como abrir uma escola sem passar por essa parte. Então, vamos lá:

 

Investimento inicial

 

Abra aí uma planilha e faça um quadro de investimentos físicos. Lembra daquela lista lá do plano operacional? Pois é, pegue tudo o que você listou, veja a quantidade que você precisará de cada item e comece a fazer orçamentos. Na última linha do quadro, deixe um espaço com o nome “Subtotal 1” e some os custos.

 

Depois, crie um outro quadro para listar os investimentos na divulgação inicial da sua escola. Faça uma média de custos que terá com cada estratégia (só para esse momento de largada) e, ao final, some tudo. Esse será o “Subtotal 2”.

 

Agora vamos ao terceiro quadro. Nele você colocará os custos para a abertura da empresa, listando taxas de licenças, alvarás e registros necessários. A soma desses custos será o “Subtotal 3”. 

 

Finalizou os três quadros? Muito bem, agora some o Subtotal 1, o 2 e o 3 e você terá o valor do investimento inicial. Mas calma que ainda há outros, então, segure o coração!

 

Custos fixos e variáveis

 

Já está sentindo como abrir uma escola dá trabalho, né? Mas tudo valerá a pena no final! Agora chegou o momento de ver aqueles custos que a sua instituição terá quando já estiver em funcionamento. O primeiro quadro então será o dos custos fixos anuais. Nele entrarão aquelas despesas que não possuem grande variação ao longo do ano. Alguns exemplos são: folha de pagamentos, aluguel, IPTU, luz, água, telefone, internet, mensalidades de sistemas contratados, depreciação etc.

 

Há despesas desse quadro que serão anuais, e não mensais. Porém, você precisará se programar para todo mês reservar uma parte das entradas para isso, para que não haja um pico de saídas em determinados meses do ano. Então, divida o valor das despesas anuais por 12 e as considere como um custo mensal.

 

O próximo quadro é o de custos variáveis anuais. Nele você colocará uma previsão de despesas que são esporádicas e que variam de acordo com fatores externos, como sazonalidade. Um exemplo disso são materiais de decoração para ocasiões festivas do ano.

 

Depreciação

 

Você sabe o que é depreciação? Se você quer saber como abrir uma escola com o mínimo de surpresas financeiras pelo caminho, te sugiro se familiarizar com o termo. Ele está ligado ao tempo de vida útil dos recursos físicos. Como nada dura para sempre, em algum momento, cada recurso da sua escola precisará ser substituído, certo? Então, é sobre essa questão que estamos falando.

 

Já pensou ter que substituir vários computadores do laboratório de informática de uma vez e ter uma despesa inesperada? É justamente para que a sua escola esteja preparada financeiramente para todas essas situações que o cálculo da depreciação deve entrar no seu plano de negócios.

 

Funciona assim: você faz mais um quadro e coloca novamente todos os recursos físicos nele. Ao lado, você informará o valor correspondente à depreciação mensal de cada um. Há várias fórmulas para descobrir esse dado. A mais simples é dividir o custo de aquisição de cada item pelo tempo de vida útil que ele tem. O valor resultante será a depreciação anual.

 

Sabe o que você faz com isso? Divide por 12 (que são os meses do ano) e coloca esse valor no seu quadro de custos fixos. Então, todo mês você reserva uma parte das entradas para a depreciação dos recursos físicos da escola. Assim, quando chegar o momento de fazer as substituições, a sua instituição já terá uma reserva em caixa para isso, e não passará apertos.

 

Capital de giro

 

Quando você começou a pensar em como abrir uma escola, nem passou pela sua cabeça esse trabalho todo, né? Mas fique firme aí e me acompanhe que dará tudo certo! Agora vamos ao capital de giro. O cálculo é o seguinte: (custos fixos + custos variáveis) x tempo de giro do negócio. Como as escolas recebem a cada 30 dias, esse é o tempo do giro. Bem facinho esse cálculo, né?

 

Investimento total

 

Agora estamos quase lá. Você já tem todos os números necessários para saber o valor que precisa ter para abrir a sua escola. Vamos a ele então! A fórmula é a seguinte: Investimento inicial + capital de giro. O resultado desse cálculo é o que você precisa ter em mãos para dar o pontapé inicial na sua empreitada. Se ele for além do que você espera, reveja todo o seu plano financeiro e verifique que custos podem ser reduzidos. 

 

Estimativa de receita

 

Você já sabe o quanto irá gastar – um ponto-chave do planejamento de como abrir uma escola – então agora vamos ver o quanto você pode esperar receber de receita! É claro que só estamos falando de estimativas, mas elas ajudam a ter uma noção, não é? Então vamos a mais um quadrinho na sua planilha.

 

O quadro deve conter todas as fontes de receita previstas para a escola: mensalidades escolares, atividades extracurriculares, venda de materiais escolares, itens da cantina etc. Tudo o que você for oferecer na escola já “de cara”, no momento da abertura, coloque ali. 

 

Agora você precisará estimar a quantidade. Você ainda não sabe quantos alunos terá, mas com base em outros dados que levantou – como a quantidade de alunos em idade escolar na região, a quantidade de escolas no local e a capacidade da sua instituição – terá que estimar um número. A quantidade de alunos corresponderá à de mensalidades. Outras fontes de receitas não são exatas, então você terá novamente que fazer uma estimativa por baixo.

 

Tendo a quantidade correspondente a cada item da sua lista de receitas, você poderá multiplicá-la pelo valor que irá cobrar. Somando todas as fontes de receita, você já saberá o quanto pode esperar de entradas por mês e por ano. Assim, finalizamos o seu plano financeiro!

 

  • Cronograma

 

Chegamos à etapa final do seu plano de negócios! Ufa… finalmente, né? Agora é o momento de desenharmos um cronograma para a abertura da sua escola. Então, vamos a mais um quadro na sua planilha. É o último, prometo.

 

Vamos lá. Crie uma coluna para todas as atividades necessárias para a abertura que ainda estão pendentes e outras com os meses seguintes. Vá colocando em qual mês cada atividade será realizada, até estar com o cronograma completo. Prontinho, seu plano de negócios está finalizado!

 

 

4. Compre ou alugue o imóvel no qual a escola irá funcionar

 

Você já planejou como abrir uma escola, então agora é a hora de realizar! O bairro em que você pretende abri-la já foi escolhido, portanto, é hora de começar a bater perna, visitar imóveis e optar por aquele que esteja mais de acordo com os planos que você fez.

 

Ao escolhê-lo, revise o contrato de aluguel ou de aquisição do imóvel com um advogado. Ele verificará se não há nenhuma questão importante faltando no contrato e também te instruirá sobre todas as certidões negativas que você precisa solicitar antes de assinar e fechar o negócio. Acredite, isso pode te poupar muitas dores de cabeça.

 

5. Faça as reformas necessárias

 

Você sabe que não há como abrir uma escola sem encarar de frente a parte das reformas, né? Afinal, um imóvel voltado a outra finalidade não terá todas as coisas que há em instituições de ensino, como salas de aula, laboratórios, quadras de esportes etc. Então, essa é uma etapa mais do que necessária!

 

6. Adquira móveis, equipamentos e tecnologias

 

Estrutura pronta, é hora de adquirir tudo o que você listou no seu plano de negócios. Pesquise bem e busque o melhor equilíbrio possível entre preço e qualidade.

 

7. Elabore o projeto político-pedagógico

 

A sua instituição de ensino precisará ter um projeto político-pedagógico (PPP) pronto antes de iniciar as atividades. Então, é hora de você elaborá-lo. Caso você não seja pedagogo, essa função ficará a cargo do pedagogo responsável que você contratou. Neste artigo você encontra instruções de como criar o PPP.

 

8. Regularize a escola

 

Não há como abrir uma escola legalmente sem passar por certos trâmites burocráticos. Então, você precisará procurar a prefeitura do município no qual a sua escola ficará sediada, o Ministério da Educação e a Secretaria da Educação. Precisará dos seguintes documentos:

 

  • Requerimento da Secretaria de Educação solicitando a regularização da escola.
  • Cópia autenticada do contrato social da escola.
  • Cópia autenticada do cartão de CNPJ.
  • Certidões negativas dos cartórios de protestos.
  • Declaração de idoneidade.
  • Termo de responsabilidade.
  • Escritura do imóvel ou contrato de aluguel.
  • Planta do imóvel com informações sobre cada área.
  • Declaração de capacidade total da escola, levando em consideração a metragem mínima por aluno de acordo com a lei.
  • Lista de funcionários, atribuições e horários de trabalho.
  • Lista de todos os recursos físicos e do local em que eles ficarão na escola.
  • Plano de treinamentos para os colaboradores.
  • Regimento escolar.
  • Projeto Político-Pedagógico.

 

9. Contrate os profissionais e prestadores de serviços

 

Tudo regularizado certinho, é hora de contratar todos os profissionais que você previu para a sua escola, bem como os prestadores de serviços terceirizados. Observe sempre os direitos trabalhistas e faça tudo como manda o figurino, para a sua escola nunca se incomodar com questões judiciais. Fica a dica!

 

10. Inicie os trabalhos

 

Agora você já sabe como abrir uma escola, já fez todas as funções necessárias, então, bora começar? Coloque em prática as estratégias de divulgação que listou no plano de negócios, matricule muito e faça sucesso com a sua instituição de ensino!

 

Leia mais
– Diretor escolar: missão, função e desafios
– Gestão financeira: como trabalhá-la na escola

 

Você já sabe como abrir uma escola, então, respire fundo, vá lá e faça acontecer! Se precisar de ajuda na parte tecnológica, conte com a gente! Confira aqui todas as soluções que disponibilizamos.

 

CTA_Infográfico - Agenda Digital x Sistema de Gestão Escolar

AUTOR:

Graziela Balardim

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.