fbpx Skip to content
Pedagogia Waldorf

COMPARTILHE

30 de novembro - 2021

Pedagogia Waldorf: um olhar holístico no desenvolvimento dos alunos

Tempo estimado de leitura: 10 minutos (1991 palavras, 11625 caracteres)

Se você já viu escolas que trabalham com a Pedagogia Waldorf, sabe que elas não se parecem em nada com as instituições tradicionais. As diferenças já são visíveis desde a estrutura da escola, que na fase inicial de ensino, reproduz a atmosfera de um lar. Na aprendizagem, a distinção é ainda maior. A educação não é voltada apenas para o conteúdo, mas para a formação do aluno de maneira integral.

 

Ficou curioso? Então mergulhe neste artigo e entenda mais!

 

O que é a Pedagogia Waldorf?

 

A Pedagogia Waldorf é um método de ensino que tem como base os princípios da filosofia antroposófica, que enxerga o ser humano em três dimensões: física, anímica e espiritual. As escolas Waldorf não são instituições apenas conteudistas, elas buscam o desenvolvimento holístico dos estudantes. Para isso, associam habilidades corporais, cognitivas e emocionais.

 

Todo o plano de ensino segue as fases do desenvolvimento humano. A Pedagogia Waldorf divide essas fases em três, cada uma com sete anos de duração, os setênios (dos quais falaremos mais adiante).

 

Os alunos, nessa metodologia, têm os seus ritmos de aprendizagem respeitados. A visão sobre cada estudante é individual, e os talentos e habilidades de cada um são tratados de forma única.  

 

Qual é a origem da Pedagogia Waldorf?

 

A Pedagogia Waldorf surgiu na Alemanha em 1919, logo após a primeira guerra mundial. Seu criador foi o austríaco Rudolf Steiner. Talvez você esteja estranhando o fato de a metodologia não levar o nome de seu fundador. Você já vai entender o motivo.

 

Acontece que Rudolf Steiner foi convidado a dar uma palestra sobre educação e outras questões sociais aos operários de uma fábrica chamada Waldorf-Astoria, que ficava na cidade de Stuttgart. Suas ideias fizeram tanto sucesso que eles quiseram que seus filhos tivessem uma educação baseada nos princípios que conheceram na palestra. 

 

Estava fincada assim a pedra fundamental da primeira escola Waldorf, que foi fundada dentro do próprio prédio da fábrica. Como você pode ver, o nome da metodologia acabou sendo o nome do local em que a instituição foi estabelecida. Mesmo depois de a pedagogia criada por Steiner já não caber mais entre as paredes da fábrica, o nome se manteve, e é assim até hoje.

 

Quais são os setênios e as principais características deles?

 

Como você leu no primeiro tópico deste artigo, a Pedagogia Waldorf planeja o ensino de acordo com os setênios, que são as fases do desenvolvimento humano. Vamos entendê-los:

 

  • Primeiro setênio – 0 a 7 anos

 

Toda a primeira infância está contemplada dentro do primeiro setênio. É nessa fase que a criança começa a movimentar-se e a descobrir os seus limites físicos. Ela aprende pela experimentação, por tentativas e erros, pela imaginação e pela imitação.

 

A Pedagogia Waldorf explora muito o desenvolvimento motor nessa fase. As atividades ocorrem com muita liberdade, criatividade e em ambientes de aconchego. A natureza tem um papel fundamental aqui. 

 

Materiais naturais como terra, pedras, conchas e lã são muito usados para trazer às crianças experiências sensoriais e motoras. Elas realizam brincadeiras livres e também tarefas como cuidar do jardim, guardar brinquedos, preparar o lanche, etc. 

 

Ao final do primeiro setênio, a criança já conquistou o domínio do corpo. Ela já sabe se limpar, se vestir, falar claramente, usar talheres, etc. Ela já está com uma sólida base para a próxima fase de aprendizado.

 

  • Segundo setênio – 7 a 14 anos

 

No segundo setênio, as crianças iniciam uma nova fase de desenvolvimento. Elas passam da imitação à autonomia. O “eu” interior delas se desperta mais fortemente, há mudanças hormonais e aparecem as manifestações de temperamento. Figuras de autoridade, como pais e professores, ganham um papel de importância. 

 

A arte e a música são elementos fundamentais nessa fase. É o período em que tudo é belo, e os conteúdos didáticos são trabalhados com muita prática, vivência e atividades lúdicas. É neste setênio, mais precisamente aos sete anos, que as crianças são alfabetizadas na Pedagogia Waldorf. A questão é polêmica, pois no Brasil, tradicionalmente, as crianças são alfabetizadas aos seis anos de idade. 

 

Há algumas justificativas para a espera. A base é o período de troca de dentes das crianças, mas mais recentemente a pedagogia encontrou respaldo para essa atitude também na neurociência. Até os sete anos, há uma superprodução de neurônios-espelho, responsáveis por estimular a imitação. Após essa idade, eles desaparecem quase que totalmente. A alfabetização estimula a parte do cérebro que é racional, então, geraria um desgaste para crianças menores de sete anos.

 

  • Terceiro setênio – 14 a 21 anos

 

No terceiro setênio, o mundo do estudante não é mais apenas a escola e a família, ele é todo um universo cheio de possibilidades. A maturidade para o julgamento também começa nessa fase, bem como os questionamentos sobre o todo.

 

Aqui o jovem começa a sentir mais necessidade de espaço e privacidade. Os amigos e lugares que frequenta passam a ter mais importância e há a necessidade de pertencimento a grupos e tribos sem conexão com a família. As emoções ficam intensas como nunca, a sexualidade começa a ser expressada e surgem as aspirações com o futuro profissional.

 

Na Pedagogia Waldorf, essa é a hora de mostrar ao estudante que o mundo é verdadeiro. Todas as mudanças com as quais ele está lidando requerem um aprendizado com mais liberdade, diálogo, espaço para o protagonismo e no qual as vivências da verdade e dos setênios anteriores sejam fundamentadas.

 

Quais as características da Pedagogia Waldorf?

 

Como você já sabe agora, todo o planejamento do ensino na Pedagogia Waldorf leva em consideração as fases de desenvolvimento do estudante, os setênios. Há, porém, características que estão presentes no ensino como um todo. São elas:

 

Formação integral

 

A Pedagogia Waldorf trabalha com o ser humano em suas três dimensões: física, anímica e espiritual. O ensino vai muito além do conteúdo das disciplinas, e envolve também atividades físicas, artísticas, musicais e ligadas à religiosidade. Nesse último aspecto, as escolas Waldorf seguem valores cristãos livres de qualquer instituição específica.

 

Educar para o futuro

 

A Pedagogia Waldorf busca a educação para o futuro. Ela desenvolve com os estudantes elementos que são requeridos pelo mercado de trabalho, como inteligência emocional e pensamento crítico. Tais competências estão ganhando cada vez mais importância no mundo profissional e na vida em sociedade, e é muito mais fácil trabalhá-las quando isso é feito desde a infância.

 

Ritmo de aprendizagem

 

Na Pedagogia Wadorf, a aprendizagem respeita uma harmonia rítmica, alternando momentos de concentração/expansão, esforço/descanso, atividades intelectuais/práticas, entre outros. Esse equilíbrio é uma constante na gestão do tempo.

 

Integração com a natureza

 

A natureza é um elemento sempre presente na Pedagogia Waldorf. Ela está nos espaços externos, internos e em meio às atividades pedagógicas. Há tarefas como jardinagem, por exemplo, brincadeiras ao ar livre, brinquedos feitos de elementos naturais (madeira, bambu, lã, etc.) e até o uso desses elementos de forma não-estruturada.

 

Trabalho conjunto com a família

 

Na Pedagogia Wadorf, há um forte senso de comunidade. A família do aluno é um verdadeiro braço direito da escola. Os pais não participam apenas de reuniões e festas anuais, mas muitas vezes até de atividades pedagógicas, viagens e – pasmem – da própria gestão da escola, de forma voluntária. O conselho de pais é muito atuante e a comunicação é um aspecto fundamental para nutrir as relações.

 

A tecnologia nas Escolas Waldorf

 

Parte pedagógica

 

O uso da tecnologia na parte pedagógica é bastante limitado em Escolas Waldorf. Como o método trabalha muito a questão do movimento corporal, não costuma-se usar computador em sala de aula. Porém, como uma das premissas da Pedagogia Waldorf é a educação para o futuro, e o futuro do trabalho está fortemente ligado à tecnologia, o meio digital é algo que não pode ser simplesmente ignorado.

 

O tema foi discutido no Fórum Internacional do Movimento da Pedagogia Waldorf (Círculo de Haia) em 2019. Na “Carta para a educação no mundo digital”, reconhece-se que as ferramentas digitais visam aprimorar habilidades específicas, mas que elas não devem substituir o aprendizado dessas habilidades, e sim apoiá-lo

 

O desafio para as escolas que seguem a Pedagogia Waldorf, portanto, é desenvolver toda a paleta das experiências humanas de maneira que a tecnologia possa apoiá-las, e não suplantá-las. Por isso, a carta levanta 10 condições estruturais que devem ser seguidas para que haja essa implementação. Você pode conferi-las por aqui.

 

Comunicação com as famílias

 

O relacionamento com as famílias é algo intrínseco na proposta da Pedagogia Waldorf, muito mais do que na maior parte das escolas. Sabemos que no mundo moderno, a tecnologia facilita bastante esse relacionamento. Sem os recursos digitais, todo e qualquer contato só poderia ser realizado por meio do papel: agendas físicas, murais de recados e cartas. Na correria dos dias de hoje, não há como ter uma comunicação fluida por esses meios.

 

As restrições à tecnologia que existem na Pedagogia Waldorf fazem algum sentido para a parte de aprendizado, porém não para a comunicação com os pais, que só é favorecida pelo meio digital. É inegável que nos dias atuais, o celular é o caminho mais rápido para a comunicação com qualquer pessoa. 

 

Há alunos que têm pais bem ocupados, porém, mesmo eles precisam conferir o celular várias vezes ao longo do dia. Se a interação com a escola puder ocorrer por lá, e de preferência de forma bem organizada, o relacionamento só se beneficia. Nesse sentido, a agenda digital, que funciona por app, cai como uma luva para essa necessidade.

 

Como a ClipEscola pode contribuir

 

A ClipEscola pode ajudar as instituições que seguem a Pedagogia Waldorf nos dois aspectos citados neste artigo. Na parte pedagógica, temos um Ambiente Virtual de Aprendizagem que pode ser usado pelas escolas para enviar materiais de estudos de forma categorizada por disciplina, para que os estudantes possam acessá-los quando estiverem em casa. Assim, eles poderão reforçar habilidades que já foram adquiridas de outras maneiras.

 

Na parte de comunicação escolar, a ClipEscola possui a agenda digital mais completa do mercado. Ela possibilita um contato ágil e organizado com as famílias, facilitando que elas participem do dia a dia dos filhos na escola, seja pelo recebimento de fotos, vídeos ou de informações enviadas pelos professores e/ou coordenadores. Quer saber mais? Solicite informações por aqui!

 

Leia mais
– Dicas do que enviar aos pais dos alunos pela agenda digital nos finais de semana
– Como tornar as famílias dos alunos um braço direito do corpo docente

 

Muito interessante a Pedagogia Waldorf, não é mesmo? Assine a nossa newsletter e receba sempre os nossos artigos voltados ao segmento escolar.

 

CTA - Informações em Geral

AUTOR:

Graziela Balardim

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.